Promoção Sangue & Calor

Duas séries, três livros e uma coisa em comum: vampiros muy calientes!

Gostaram? Eu sei que vocês gostaram! Estive fora por uns tempos, mas, para me redimir, trouxe essa promoção mais que especial valendo:

-Amante Libertada (Irmandade da Adaga Negra #9)

-Irmandade da Adaga Negra, Guia Oficial da Série

-A Ascensão da Meia-Noite (Midnight Breed #4)

Agradeçam à Editora Universo dos Livros que está nessa com a gente! Black Dagger Brotherhood (aqui conhecida carinhosamente com IAN) da americana J. R. Ward  e  Midnight Breed da também americana Lara Adrian são séries de sucesso internacional que super valem a pena conferir!

Para participar você deve:

– Preencher o formulário corretamente;

– Curtir o face do blog e a editora Universo dos Livros;

– Possuir endereço de entrega no Brasil, te imploro;

Eeeee se quer chances extras, você pode:
– Seguir o twitter do blog @AndhromedaG e o da editora Universo dos Livros @univdoslivros
– Seguir o blog através do e-mail (ali no canto direito);
– Divulgar a promoção (até duas vezes por dia) nas redes sociais com a seguinte frase:
 “A @AndhromedaG sabe que gosto de vampiros hot e vai sortear três desses com a @univdoslivros, just saying http://wp.me/p1V7px-AR”
– Comentar nesse post.
Preencha o formulário outra vez para cada uma dessas coisas!

RESULTADO!! (13/12)

O número sorteado foi: 

number

 

 

 

 

E o ganhador é:

Results 

 

Parabéns Andréia! Por favor responda o e-mail que estamos enviando em até 3 dias, ok? Se não obtivermos resposta nesse prazo, um novo sorteio será realizado.

Não ganhou? Não desanime e fique acordado, e participe das outras promoções!

Um lembrete para os engraçadinhos de plantão, fakes não serão contemplados.

A Sangue & Calor estará no ar até o dia 12 de Dezembro e o resultado será divulgado no dia seguinte!

Boa sorte para todo mundo!!

Anúncios

O Beijo da Meia-Noite – Lara Adrian

  •     Autor: Lara Adrian
  •    Editora: Universo dos Livros
  •    Nº de Páginas: 400
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2011
  •    Título Original: Kiss of Midnight
  •    Tradutor: Adriana Fernandes Machado de Oliveira

   Avaliação: 7,0

Atenção: Se você é verde como o verão (menor de idade) clique aqui e não volte até o próximo post, por favor! O conteúdo é inadequado, seus pais vão ficar bravos comigo e eu vou ser obrigada a pedir aos Outros que te levem pra lá da Muralha. Ninguém quer isso.

Um estranho moreno e sensual a observava do outro lado da boate, e foi capaz de despertar as mais profundas fantasias em Gabrielle Maxwell. Mas nada a respeito desta noite – ou deste homem – é o que parece. Pois, quando Gabrielle presencia um assassinato nos arredores da boate, a realidade se transforma em algo obcuro e mortal. Nesse instante devastador, Gabrielle é lançada em um mundo que jamais imaginou existir – um mundo onde vampiros espreitam nas sombras e uma guerra de sangue está para começar. Lucan Thorne despreza a violência de seus irmãos sem lei. Ele próprio um vampiro, é um guerreiro de Raça, e jurou proteger sua espécie – e os humanos imprudentes com quem convivem – da ameaça crescente dos Renegados. Lucan não pode arriscar um relacionamento com uma mulher mortal, mas, quando seus inimigos escolhem Gabrielle como vítima, sua única escolha é trazê-la para o escuro submundo que comanda. Aqui, nos braços do intimidante líder da Raça, Gabrielle enfrentará um destino extraordinário, repleto de perigos, sedução, e dos mais sombrios prazeres… 
————————————————————————————————————————————————————————————————–

Desculpa sociedade, mas reler O Beijo da Meia-Noite me faz desfrutar uma nostalgia das fortes. Lembram lá em 2009/2010 quando os romances-hot-com-vampiros marcaram suas posições nas prateleiras? Eu lembro direitinho, principalmente porque nem sabia que existiam! IAN poderia muito bem ser uma boyband da vida ou alguém escrevendo o nome de algum moço com a caps lock ativada.

Porém, como na época eu trabalhava toda serelepe e contente numa livraria gigante ficou difícil ignorar o número absurdamente grande de mães que se livravam dos filhos e maridos e vinham me pedir, sussurrando com o canto da boca pra ninguém perceber, aqueles livros de vampiro.

A atendente lenta demorou certo tempo para pescar que aqueles livros de vampiro não tinham praticamente nada a ver com Crepúsculo e seus afiliados. Depois de alguns episódios tragicômicos, situações epicamente constrangedoras e filhos e maridos danificados no processo, cedi à curiosidade e fui fuçar os livros daqueles vampiros.

Sendo bem sincera, e contradizendo os rumores da oposição, nunca li um romance de banca. Mesmo assim decidi acreditar em leitoras assíduas que me disseram que livros como IAN e Midnight Breed são muito semelhantes (à sua forma) às estórias da Sabrina, Bianca e companhia. Dizendo mais (e sem ninguém pedir) acho indigno o preconceito com esses livros quaisquer que sejam os motivos. Se quiserem, ainda posso começar uma dissertação a respeito do por que dos romances de banca serem tão culturalmente discriminados pelas pessoas que não são do meio, indo do patriarcalismo ao feminismo! Querem?! Querem?!

Achei que não, mesmo.

Ok, a resenha!

Tivemos o’ Beijo da Meia-Noite de antes da metade do livro e o’ Beijo da Meia-Noite de depois da metade do livro. Por quê? Porque a Gabrielle foi uma mocinha muito difícil para mim e quase fez com que eu desistisse. Não que Lucan colaborasse com a pessoa, mas já vamos chegar lá! O que quero dizer é que Gabby não é muito boa da cabeça.

Sério.

Na primeira parte do livro, a mulher parecia ter três estágios!

Ou ela estava suspeitando do mundo.

Ou ela estava sono(lenta).

Ou ela estava taradona.

Gab, por favor!

É como se ela não assimilasse direito o mundo a sua volta, ou estivesse ‘a passeio’ demais para o meu gosto. Entendo que esse talvez seja um traço da personalidade da personagem, mas é o tipo de comportamento que me cansa tanto na vida real quanto num livro e ter Lucan, moção (mocinho não faz jus) ótimo, colaborando para as confusões mentais dela resultou numa receita perigosa para mim, leitora.

Porém, nada como uma página após a outra.

Do meio para frente a relação Gabrielle-Mundo dos Vampiros melhora muito (ou não, depende do ponto de vista) e as coisas ficam menos confusas, menos vagas. É como se finalmente entrássemos na estória.

O equilíbrio de cenas de ação e sequências hot é surpreendentemente bom, principalmente para uma pessoa que achava que livros assim seriam SEXO, SEXO-SEXO-SEXO, SEXO SELVAGEM & SEXO! Enfim, só para deixar claro, eu gosto de ação, aventura e sangue.

Lucan constantemente me fazia lembrar de dois personagens distintos: Maddox, da série Senhores do Mundo Subterrâneo, e Edward. Sim, Edward! A coisa te-quiero-mucho-mas-provavelmente-vou-acabar-te-matando sempre me lembrará o vampiro disco globe e, nesse livro, a lembrança foi até fofa. Talvez tenha a ver com a preocupação vir de uma parede de músculos insanamente bem definidos com dois metros de altura. Talvez.

A consideração final: foi bom eu sair da minha zona de conforto, os YAs e Históricos. Consegui aproveitar a leitura fácil de O Beijo da Meia-Noite e pretendo reencontrar a Raça muito em breve com O Beijo Escarlate!

xoxo e boa semana!

P.S.: Numa rápida pesquisa descobri que essa série estava sendo previamente editada aqui no Brasil através da Nova Cultural, em formato adivinhem-de-que?? Romance de banca! Viram como tenho fontes confiáveis?

Imagem Meramente Ilustrativa

Insonia is coming #2

Pretties, vamos conferir os lançamentos que prometem tirar o pouco sono que me resta? Tem pra todos os gostos!

Vamos guardar o melhor pro final, certo? Não me odeiem. Não é que eu não goste de The Host, eu a-m-o The Host, mas o teaser que fizeram, ele…, ah, tirem suas próprias conclusões:

Citando a comparsa Natália do Vire a Página “Fizeram esse teaser no paint”.

Eu imploro que não julguem o livro A Hospedeira por Crepúsculo! São estórias completamente diferentes e, na minha opinião, The Host dá de 10 a 0 num monte de romances distópicos por aí!

O lançamento do filme está previsto para 29/03/2013. Tem chão.

Vamos aos livros?

Todos os anos, os magos de Imardin reúnem-se para purifi car as ruas da cidade dos pedintes, criminosos e vagabundos. Mestres das disciplinas de magia, sabem que ninguém pode opor-se a eles. No entanto, seu escudo protetor não é tão impenetrável quanto acreditam.

Enquanto a multidão é expurgada da cidade, uma jovem garota de rua, furiosa com o tratamento dispensado pelas autoridades a sua família e amigos, atira uma pedra ao escudo protetor, colocando nisso toda a raiva que sente. Para o espanto de todos que testemunham a ação, a pedra atravessa sem dificuldades a barreira e deixa um dos mágicos inconsciente.

Trata-se de um ato inconcebível, e o maior medo da Clã de repente se concretiza: uma maga não treinada está à solta pelas ruas. Ela deve ser encontrada, e rápido, antes que seus poderes fiquem fora de controle e destruam a todos.

Não preciso dizer muita coisa, né? Qualquer história com magia é válida, e essa está com ar de IMPERDÍVEL.

Você pode até fugir da sepultura, mas não pode se esconder para sempre… A meio-vampira Cat Crawfield é agora a Agente Especial Cat Crawfield, trabalhando para o governo para livrar o mundo de mortos-vivos mal intencionados. Ela ainda usa tudo o que Bones, seu ex-namorado sexy e perigoso, ensinou a ela. Mas quando Cat torna-se alvo de assassinos, o único homem que pode ajudá-la é justamente o vampiro que ela abandonou. Estar perto dele desperta todas as suas emoções, desde a adrenalina ao matar vampiros ao seu lado à temerária paixão que os consome. Mas o preço por sua cabeça – Procura-se: morta ou meio-morta – significa que sua sobrevivência depende de unir-se a Bones. Não importa o quanto tente manter as coisas profissionais entre eles, Cat irá descobrir que o desejo dura para sempre… E que Bones não vai deixá-la fugir novamente.

Eu tenho várias coisas positivas a falar sobre essa série, mas a capa que escolheram para o segundo volume me impede de articular corretamente. Por que fizeram isso com o livro eu ainda não sei, mas tenho uma vontade incontrolável de derrubar aquela moça da moto.

O Norte jaz devastado e num completo vazio de poder. A Patrulha da Noite, abalada pelas perdas sofridas para lá da Muralha e com uma grande falta de homens, está nas mãos de Jon Snow, que tenta afirmar-se no comando tomando decisões difíceis respeitantes ao autoritário Rei Stannis, aos selvagens e aos próprios homens que comanda. Para lá da Muralha, a viagem de Bran prossegue. Mas outras viagens convergem para a Baía dos Escravos, onde as cidades dos esclavagistas sangram e Daenerys Targaryen descobre que é bastante mais fácil conquistar uma cidade do que substituir de um dia para o outro todo um sistema político e económico. Conseguirá ela enfrentar as intrigas e ódios que se avolumam enquanto os seus dragões crescem para se tornarem nas criaturas temíveis que um dia conquistarão os Sete Reinos?

A intenção da editora Leya é lançar esse por aqui em Julho, como aquecimento para a Bienal do Livro de São Paulo, em Agosto. Deus sabe o quanto Julho está longe para as pessoas que devoraram O Festim dos Corvos na 1ª semana de Fevereiro.

Sirensong é o terceiro livro da série Faeriewalker. Neste volume, Dana é convidada a ir a Faerie para ser oficialmente apresentada à Corte Seelie. Porém, Titânia, a rainha, a quer morta. O convite não pode ser recusado e Dana, seu pai e seus amigos rumam a uma viagem cercada de perigos, ataques, ameaça e medo. Será que ela conseguirá vencer esses desafios? Uma saga surpreendente, recheada de aventuras e romance. 

Apesar de ter ficado um pouco desapontada com o segundo volume, ainda estou doente para saber o que vai ser da Dana. Esse sai no final do mês.

Sem o conhecimento dos mortais, uma luta pelo poder está se desenrolando em um mundo de sombras e perigo. Depois de séculos de estabilidade, o equilíbrio entre as Cortes das Fadas se alterou e Irial, o regente da Corte Sombria, está lutando para manter suas rebeldes e vulneráveis fadas juntas. Se ele falhar, o derramamento de sangue e a brutalidade não tardarão a aparecer. Leslie, dezessete anos de idade, não sabe nada das fadas e suas intrigas. Quando ela é atraída para uma tatuagem estranhamente bela de olhos e asas, ela sabe que precisa tê-la, convencida de que é um símbolo tangível das mundaças que ela desesperadamente anseia para si. A tatuagem realmente traz mudanças, mas não as que Leslie sonhava, mas sinistras, mudanças que são mais do que simbólicas. Essas mudanças ligarão Leslie e Irial, envolvendo Leslie cada vez mais no mundo das fadas, incapaz de resistir a seus encandos e indefesa para suportar os perigos…

Essa é uma das séries de fadas mais promissoras da atualidade. Fiquei literalmente encantada pelo primeiro volume, Terrível Encanto (resenha aqui) e já estava mais que ansiosa pela sua continuação!

E por último, mas não menos importante eu quase chorei quando recebi a notícia de que A Filha do Sangue – Lendas do Mundo Emerso (Licia Troisi salve salve) vai ser lançado esse mês. Se você ainda não leu nada da autora meus pêsames não se aflija, ainda dá tempo! Comece por A Garota da Terra do Vento.

 O mal implantado pelo povo dos elfos no Mundo Emerso está dizimando as cidades e vilas em um redemoinho de violência e desespero. Enquanto a sacerdotisa Theana busca uma cura para a doença e a Rainha Dubhe organiza uma fraca resistência contra o exército de elfos, a única esperança do Reino corre o risco de desaparecer: Adhara, a garota sem passado. Ela é muito mais que uma guerreira, é uma arma, a mais poderosa arma já vista pelo Mundo Emerso. Acima de tudo, Adhara não é uma predestinada, é uma Consagrada, criada com o único propósito de combater o Marvah, o mal absoluto que eternamente se alterna com o bem no ciclo da história. Mas o seu destino era outro, a vida mortal abandonada no campo, e o destino quer retomar seu curso, sob o preço de destruí-la. Inimigo inesperado impede a missão de Adhara: não mais seu amor por Amhal e seu mal, e nem a loucura da praga, mas uma sombra pedira um preço alto.

Acho que a própria capa soltou um spoiler gigantesco, reparem no olho direito de Adhara (direita dela, não sua). Parece que ele não está mais lá… Só serve para aumentar ainda mais minha expectativa!

Pra finalizar e entrar no clima do feriadão: Mika! Ele é novidade? Não! A música pelo menos é nova? Não! Mas é impossível não se animar ouvindo Grace Kelly e cantar em falsete junto! Deleitem-se, ele canta em francês.