Resultado do Sorteio da Bienal \o/

bibienal

Gentes,vamos logo ao que interessa, pois tenho que correr no correio e já postar os ingressos!

Soem os tambores:

generator1e…

generator2

As ganhadoras são:

resultado 1

Parabéééééééééééns mulheres!

al77az2

Espero que vocês aproveitem muito a feira e que não deixem de passar no Estande da Coerência pra pegar seus brindes 😀 (e meu livro, of course)

xoxo e até a Bienal!

A Rebelde do Deserto – Alwyn Hamilton

Rebelde

  •     Autor: Alwyn Hamilton
  •    Editora: Seguinte
  •    Nº de Páginas: 288
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2016
  •    Título Original: Rebel of the Sands
  •    Tradutor: Eric Novello

   Avaliação: 5,0

O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher.

Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele.

Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.

————————————————————————————————————————————————

Depois dessa sinopse eu tinha certeza que não restaria outra coisa a fazer a não ser amar esse livro. É algo do misterioso Oriente Médio com cavalos mágicos. Cavalos mágicos. Quem não tem feelings de A Corrida de Escorpião???

É difícil falar sobre um livro que não te chamou a atenção, apatia é uma grande estraga prazeres. Se você amou a história vai ficar igual uma tonta apaixonada falando de todas as vantagens do livro e tentando converter as pessoas à sua volta (quem nunca?). Ou se você odiou e utiliza todo o seu estoque de sarcasmo, arrogância e pesquisa cientifica  no Wikipedia para mostrar que aquela história nunca deveria ter saído da cabeça do autor (todo mundo já fez isso).

Agora, e quando o livro não fede nem cheira?

A busca da Amani por liberdade acaba virando uma odisseia por um caminho longo e confuso, com um mocinho (?!) tão confuso quanto. Tem horas que eles se dão super bem, nas outras estão tentando se livrar um do outro, alternadamente.

Esse livro simplesmente não foi para mim. A mistura de árabe com faroeste não rolou, deixou tudo esquisito demais, e não um esquisito deliberado, um esquisito tipo “a autora não soube dosar o ambiente”. Não foi  nem árabe demais (será que esse é o nome certo?) nem faroeste o suficiente, e nós nem temos tanto tiroteios assim! Eu queria tiroteios!! #aloucaquersangue

Não que não tenha ação, sim temos. A autora gosta de nos deixar ansiosos com grandes perseguições em que tudo, sério, qualquer coisa pode acontecer! Logo no começo a Amani mostra que não tem medo de sujar as mãos e que não é nenhuma gata borralheira pros tios e primos. Na boa, com uma família daquelas nem precisa de outro vilão na história…

Um enredo caminhando na linha do OK, sem ser pobre, mas sem nada que merecesse um NOSSA!! Faltou ousadia na hora de adicionar clímax. E tem o pequeno probleminha do romance instantâneo que pra mim JÁ-DEU. Como essas heroínas encontram o homem das suas vidas rápido minha gente, fico pasma!

Pensando bem, talvez qualquer livro lido após Uprooted, da Naomi Novik, ficaria sem graça para mim. Acho que o problema foi muito mais eu, a leitora sem paciência para uma história água com açúcar, do que o livro em si.

Leiam por sua conta e risco, não posso prometer nada…

Aliás, não leiam, invistam seu tempo (porque tá difícil arrumar um pouco) e leiam A Fúria e a Aurora.

xoxo

Um Ano de IYRDIW ou Sobre Como Me Tornei Mais Eu

Por mais estranho que pareça, não foi a falta de alguém para conversar sobre livros que me motivou a entrar nessa. Nunca senti aquela necessidade de ter alguém para debater sobre minhas leituras porque a maioria dos debates acontecia na minha cabeça mesmo!

Pensem numa pessoa quieta.

Provavelmente perturbada também, mas tudo bem!

Mas e a vontade de colocar as palavras para fora de quando em quando? Aquela necessidade de ouvir em voz alta, da própria boca mesmo, a sua opinião sobre as burrices de uma mocinha, as genialidades de um vilão?

Tive uma sorte tremenda de sempre tropeçar em pessoas pacientes na minha vida. Pessoas extremamente pacientes. Do tipo que nem ligam muito pro assunto, ou não ligam nem a cobrar(!), mas que ficam ali, me ouvindo botar tudo pra fora, sem coerência alguma, na maior paz e lealdade. Até me encorajando! Devo ter duas dessas pessoas quevãoprocéu por perto atualmente, logo, não foi a vontade de falar e falar e falar dos livros lidos que me levou à blogosfera.

Vocês provavelmente não tem noção do prazer que me dá escrever uma resenha, monta-la do jeito que eu gosto e depois ainda por cima receber elogios, saber que tem gente lendo aquilo de verdade! Pausar uma leitura (pausar uma leitura!!) para escrever uma parte do que mais tarde virá a ser a expressão mais fiel das minhas emoções e depois ainda descobrir  pessoas que se importam com aquilo o suficiente até para comentar! (eu sei a preguiça que dá fazer isso, eu sei!)

Tem coisas que às vezes precisam ser ditas!

Comecei nessa vida como colunista (as gêmeas Desi e Andhromeda) e devo ter feito quatro resenhas, se é que dá pra chamar aquelas coisas de resenhas… enfim, foi ali que percebi que precisava de mais. Mais espaço, mais eu. Um blog pra chamar de meu!

Sim, sou mandona e assombrosamente chata. Quando quero fazer uma coisa, faço, mas do meu jeito e simplesmente tenho coisas quando tentam meter o bedelho! O que acaba tornando cada projeto algo extremamente pessoal.

Já me perguntaram a razão de o título original do blog ser meu nome e a resposta é, pois é, ridiculamente óbvia.

É meu blog.

O IYRDIW trata-se provavelmente do mais próximo de um diário que vou deixar e tudo porque essa sou eu.

Livros, escrita, sentimentos.

Nesse ano que passou consegui enxergar com muito mais clareza a descomplicação de tudo isso, o que tornou a vida muito mais leve, menos atada, mais gostosa. É realmente muito simples: sou ação e algumas vezes reação.

Mas quem não é?

Sem mais delongas, gostaria de agradecer todo mundo que leu, comentou e apoiou esse blog despretensioso e ainda extremamente querido por sua criadora, eu não teria durado um mês aqui se não fosse por vocês!

Espero do fundo da minha caixa torácica continuar arrancando risinhos e espalhar cada vez mais resenhas sem sentido, mas muito sinceras, por ai! Pretty, te vejo no aniversário de dois anos do IYRDIW, e no de três, e no de dez, e no de duzentos!

Xoxo de uma blogueira muito feliz e contente.

P.S.: Não estou chorando, isso é só meu corpo se desfazendo do excesso de água… pelos olhos.

Um Ano de Parceiragem!

Hey pretties! Tudo bom com vocês?

Hoje vou falar de um assunto muito sério… só que não! Ou sim, depende. O mês de Outubro marca várias datas importantes, incluindo os aniversários de um ano do IYRDIW e do Vire a Página! Mais importante ainda? Faz um ano que eu e Natália Pacheco (autora do VaP) somos comparsas, parceiras e amigas!

Tá, tá! Todo mundo já sabe, saquei! Porém, o que vocês não sabem é que queremos comemorar em grande estilo… e quando eu digo grande eu  quero mesmo dizer GRANDE.

Então, para ninguém ficar chupando o dedo enquanto tramamos formas sustentáveis (tá na moda) de dominação mundial vamos sortear alguns kits de puro amor!

As regras! As regras!!

  • Não esqueça de ler o Terms & Conditions que está incluso no Rafflecopter. (sim, estamos usando o helicóptero)
  • Cada formulário contemplara 1 ganhador.
  • Você precisa ter endereço de entrega no Brasil.
  • A promoção vai de 30 de setembro à 30 de outubro.
  • Na opção twittar sobre a promoção, basta clicar no ícone do twitter que uma janela aparecerá com a mensagem que você deve twittar. Depois confirme, copie o link e cole no local indicado.
  • Você pode usar a tweet about the giveaway apenas 1 vez por dia.

Fácil, heim? Agora abram alas para:

Sorteio 1: Os cinco primeiros livros da série Academia de Vampiros (Vampire Academy)

a Rafflecopter giveaway

Sorteio 2: Kit Charlotte Street

a Rafflecopter giveaway

Sorteio 3: 1 exemplar de A Última Música + 1 exemplar de Querido John.

a Rafflecopter giveaway

Sorteio 4: Kit O Começo do Adeus

a Rafflecopter giveaway

Sorteio 5: 1 exemplar de P.S.: Eu Te Amo.

a Rafflecopter giveaway

Demais, sim ou claro??

É isso, pessoal, boa sorte para todo mundo!

Cinquenta Tons de Cinza – E. L. James

  •     Autor: E. L. James
  •    Editora: Intrínseca
  •    Nº de Páginas: 480
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2012
  •    Título Original: Fifty Shades of Grey
  •    Tradutor: Adalgisa Campos da Silva

   Avaliação: 6,0 + 1,0

Atenção: Se você é verde como o verão (menor de idade) clique aqui e não volte até o próximo post, por favor! O conteúdo é inadequado, seus pais vão ficar bravos comigo e eu vou ser obrigada a pedir aos Outros que te levem pra lá da Muralha. Ninguém quer isso.

Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja – mas em seu próprios termos…

————————————————————————————————————————————————————————————————–

“Seus lábios se contraem num sorrisinho.

-Ah, Anastasia Steele, o que eu vou fazer com você?” pág.74

Sabem, eu me perguntei a mesma coisa várias vezes, mas posso garantir que a resposta passa longe do que o Mr. Grey tinha em mente quando dizia isso. Ou não.

Eu tive um professor de Filosofia que gostava de dar pontos extras em suas provas por coisas que não estavam na grade de exigências, porém se sobressaiam no exame. Por exemplo, qualidade textual, boa construção de ponto de vista, originalidade de linha de pensamento, etc. Vou deixar de lado o fato de que, sem esses pontos extras aparentemente aleatórios sóquenão, provavelmente ninguém conseguiria passar na matéria do cara. O livro de E. L. James não tem nada do que meu professor acharia digno de pontuação extra, mas eu ainda penso que dá pra encaixar alguma coisa ali.

Primeiro, quero deixar bem claro meu ponto de vista, e lembrar que blogs são as expressões pessoais de seus autores. Cinquenta Tons de Cinza é um livro extremamente mal escrito. Não digo pela estória, já vamos chegar lá, me refiro literalmente à narrativa da autora. A visão em 1ª pessoa mata o ritmo da leitura muitas vezes e o Império da Pontuação amplia seus domínios como se não houvesse amanhã. Sinceramente, se vivêssemos num mundo utópico, onde todos conhecessem e reconhecessem sua sexualidade de forma aberta e saudável, Cinquenta Tons de Cinza dificilmente sairia da condição de fanfic para se tornar esse sucesso todo.

Mas, obviamente, não vivemos nesse mundo utópico. E é aí que entra o ponto extra para o livro de E. L. James.

O movimento Fifty Shades, a comoção do livro erótico, serviu para uma coisa boa e em larga escala! Sério, só quero dedicar um minuto a mais de pensamento na questão do puritanismo hipócrita da maioria das sociedades e principalmente no Brasil. Aqui nós temos peitos e bundas na TV o dia inteiro, mas não podemos ser vistos saindo de um Sex Shop, muito menos falar de sexo em público sem receber olhares de reprovação e criar aquele climão de constrangimento.

Gente cheia-das-moral assistindo o boneco Marcelinho pela 1ª vez.

Pretties, não estou dizendo pra liberar geral, botar o ninguém-é-de-ninguém, ou coisa assim. Até porque há uma estrada enorme entre sexualidade saudável e promiscuidade e eu não sou nenhuma sexóloga pra me aprofundar no assunto. Porém toda essa ojeriza ao ‘vamos falar de sexo’ tem que acabar e, por acaso, Cinquenta Tons de Cinza ajuda muito virando moda.

Ou ninguém viu a quantidade de gente lendo esse livro em praça pública? A mulherada (a grande massa historicamente oprimida, ou GMHO) se rasgando toda pelo Mr (e que Mr!) Grey? As mídias orgulhosamente se desdobrando pelo livro? Ninguém? Só eu?!

Enfim, vou parar por aqui e retomar a resenha. É, aquela coisa que eu me comprometi a fazer!

O primeiro quarto do livro lembra assustadoramente Crepúsculo. Eu sei,  EU SEI que a origem de tudo foi a estória da Meyer, só estou comentando! Ok, não estou só comentando. Esse primeiro quarto do livro é irreal demais, forçado demais, Anastasia Steele demais!

Faz cinco anos desde que li Crepúsculo, na época ainda não lançado aqui, e sinceramente não me lembro de ter me irritado nem um milésimo com a Bella o tanto que me irritei com Ana. Lógico que minha cabeça era outra, muita água passa debaixo da ponte em cinco anos, mas recordo claramente que a Bella era, de fato, minha personagem preferida da saga.

Já a Ana eu tacaria de bom grado da ponte citada acima.

Na primeira parte do livro a moça não passa de uma personagem de personalidade fraca, praticamente inexistente, perfeitamente dentro do papel de A Submissa. Porque Christian Grey não gosta de só mandar entre quatros paredes, ele faz disso um esporte. E a Ana vai na dele! Meu estomago doía toda vez que ele ordenava coisas do tipo ‘coma toda a sua comida’ ‘venha comigo, agora’ e etc. Exatamente por isso eu tinha patéticos pontos luminosos de orgulho nas raras vezes em que ela o questionava. Patéticos mesmo.

Vou guardar numa gaveta a progressão pessoal de Ana porque, de alguma forma, isso tem total importância no decorrer da estória e seria um spoiler mau, muito mau.

Enfim, toda a qualidade que E. L. economizou durante o começo do livro, ela despejou nas cenas pra lá de quentes entre o casal protagonista e o próprio Grey. Sexo explícito e bem detalhado, em contextos que praticamente faziam as páginas suarem, deram o tom (tá, os tons). E o Chistian, ui Christian!, tem uma característica muito atraente. Ele não é original, tirando suas taras masoquistas, e até um pouco previsível. Sabe o mocinho problemático que tem mais camadas que uma lasanha (ahá, aqui estão os tons!) e completamente irritante de um jeito fofo? Pois bem, ele é delicioso quando bem feito e sempre será.

A autora claramente começa a estória com uma ideia na cabeça e no meio da viagem decide pegar outro caminho, um melhor, ainda bem! Pude dar boas risadas com a imagem da deusa interior e do inconsciente da Ana, verdadeiras entidades que moram na cabeça daquela criatura e que deixam claro para o leitor quem é Anastasia Steele por baixo de toda a lerdeza e inexperiência cômica.

Já li tanto coisa pior quanto melhor, o livro alcança o objetivo de entreter. Ponto. Recomendo para quem está curioso (eu sei que você está!) e quer ficar por dentro dos assuntos dos amigos.

Status final: Se um livro de romance e um filme pornô tivessem um filho, Cinquenta Tons seria o gêmeo malvado que se só aparece no meio da novela.

Boa semana!

xoxo

P.S.: Pra ninguém dizer que não entrei no clima!

#fail

Promoção Love is In The Air

Gostou? Você quer? Eu sei que você quer, não adianta tentar me enganar… eles podem ser seus, basta você assinar bem aqui e…

Ok, parei com a vilã da Disney…

Enfim, o Dia dos Namorados está chegando e você ficou tanto tempo tentando dar dicas do quer ganhar que esqueceu do que vai dar? Tudo bem, acontece nas melhores famílias.

Mas nós temos a solução! É só preencher o formulário e concorrer aos kits Novo Conceito de A Casa Das Orquídeas e O Espião!

(26/06) Vamos ao resultado! \o/ *toca a fanfarra*

O número sorteado:

E o (a) felizardo(a) apaixonado(a):

PARABÉNS SONIA!!! Aproveite bastante seus livros!! Já sabe, logo o IYRDIW entra em contato para pegar seus dados, ok?

Não ganhou? Relaaaaaaaaaaaaaxa, tem mais promoções legais vindo por ai!

As regras você já deve estar careca de saber, mas não custa lembrar:

Para participar você deve:

– Seguir o blog através do e-mail (ali no canto direito);
– Possuir endereço de entrega no Brasil;
E se quer chances extras, você pode:
– Seguir o Twitter do Blog;
– Curtir o blog no Face;
– Divulgar a promoção nas redes sociais com a seguinte frase:
 “O amor está no ar e na estante lá de casa! http://wp.me/p1V7px-kq ”
– Comentar nesse post.
Preencha o formulário outra vez para cada uma dessas coisas!
O sorteio é dia 22/06, às 00:00h, sério.

xoxo e boa sorte!

Bookshelf Tour – 1ª Parte

Pras pessoas super bacanas que estavam interessadas em um tour pelas minhas estantes, agora tem! As fotos da nova disposição dos meus livros vão ser atualizadas logo, logo.

O próximo vídeo vai continuar de onde parei e acredito que vou ter que fazer mais um, pelo menos, para mostrar os livros da outra estante. Não sei o que vocês acham da ideia de ter um quarto vídeo mostrando meus livros de culinária e decoração. Se acham que é bacana, ou enxeção de linguiça, me deixem saber nos comentários, ok?

xoxo

P.S.: Quando a câmera começa a tremer descontroladamente, é porque estou perdendo o equilibrio

1 Noel = 3 Árvores = 5 Estrelas

Finalmente nosso querido blog terá uma promoção de verdade, confere, produção?

Mas não é uma promoção, são os JOGOS NATALINOS 2011 !!

Chegou a hora de você, insone literário, provar que manja do assunto, que é CDF, que saca todas, que faz a lição de casa, que come desafios literários no café da manhã!

O IYRDIW, junto do Vire a Página (aliás, olá novo blog parceiro, seja bem-vindo!) vai trabalhar como duende ou rena nessas festas de fim de ano. O velho Noel escafedeu-se pra Nárnia e nos deixou com a missão  de testar seus conhecimentos literários! Então, jovem padawan, é bom que tenha prestado atenção no que leu por aí por que agora, AGORA!, você terá a change de ganhar 4 kits,

Isso mesmo, 4 KÍTCHÊS!!

Bloody hell!

Então, benhê, tá esperando o que exatamente? Outro apocalipse zumbi?! Entra já aqui e descobre como participar, ou aqui se quer ver os prêmios apressadinho.

Traga as bebidas,chame a família, peça uma pizza, troque o glúteo de apoio na cadeira e prepare-se: os Jogos Natalinos 2011 vão começar!!

 

Nenhum ícone natalino foi ferido durante a produção dos Jogos

Que a força esteja com você!

 

Cidade de Vidro – Cassandra Clare

  •   Autor: Cassandra Clare
  •   Editora: Galera Record
  •   Nº de Páginas: 476
  •   Edição: 1
  •   Ano: 2011
  •   Título Original: City os Glass
  •   Tradutor: Rita Sussekind
  •   Avaliação:9,0
Reservo-me o direito de pular a sinopse cheia de spoilers do próprio livro ¬¬
Confesso, estava doente para ler Cidade de Vidro desde que li Cidade das Cinzas (quando lançou). Na verdade sempre estive tendo coisas para ler esses livros, mesmo antes de  Cidade dos Ossos chegar aqui no Brasil. Sabe aqueles livros cuja fama o precede? Então! Mas quer saber a melhor parte? Ele supera expectativas.

Foi assim com Cidade dos Ossos, depois com Cidade das Cinzas, agora com Cidade de Vidro e eu me recuso a acreditar que poderá ser diferente com City of Fallen Angels! Well, para quem não conhece a série, vou dar uma introdução. Ela é contada por Clary, uma ruivinha de 16 anos mal-humorada e impetuosa, e se passa em NY. Clary está com o amigo Simon em uma boate para tentar se divertir um pouco e, tirando a claustrofobia e irritação, está tudo correndo bem. Até que ela vê um grupo de adolescentes armados perseguindo outro cara. Um grupo de adolescentes que ninguém mais vê! Lógico que ela vai atrás.  Por isso ela acaba testemunhando um assassinato a sangue frio, os três adolescentes (dois gatos, digo, garotos e uma menina) acabaram com o rapaz.

Depois disso a vida dela sofre uma reviravolta total. Os assassinos, Jace, Alec e Isabelle, não vão simplesmente sair de cena. Pelo contrário, há muitos outros iguais a eles (bem, não exatamente iguais ao Jace, mas, se houver um lugar assim tipo a Jacelândia, estou me mudando para lá agora!) e eles não são assassinos, são Caçadores de  Sombras, lutam contra demônios e fazem o controle de outros seres do Submundo. Já viu, né?

Inicio dos spoilers

Bem, em Cidade de Vidro Clary está indo à Alicante encontrar o feiticeiro que pode reverter o coma de sua mãe. Enquanto isso Jace está tentando esquecer a irmã, e está fazendo isso tirando a roupa de outra Caçadora de Sombras, Aline, uma menina muito antipática se vocês querem saber.  Com Aline aparece Sebastian, o primo dela e Caçador de Sombras em Paris. O charmoso rapaz logo despeja todas as suas atenções para Clary, mesmo tendo alguma resistência.

Simon, o vampiro que não teme o Sol, acabou indo junto para Idris, foi preso pela Clave, está sendo torturado e, se isso não bastasse como problema, a Cidade de Vidro, a cidade mais invulnerável do mundo, está prestes a cair. Valentin se provou mais esperto que todos eles.

Nesse volume temos a solução de alguns mistérios e na mesma medida, o surgimento de outros. Não adianta eu ficar falando o quanto ele é bom e fluído, Clary é uma das minhas mocinhas preferidas. Ela não fica dizendo ‘Oh, como sou rebelde’, ela para, considera e decide, independente do que os outros querem. Se não fosse assim provavelmente a série beiraria a chatice. Thank God it isn’t!

Tô quase lendo o 4º no PC mesmo, e quem me conhece sabe o que isso significa: amei esse livro, estou numa profunda DPL (depressão pós leitura) e preciso saber o que acontece em seguida, pelo bem do mundo e o futuro da humanidade!!

Passou, benhê?

Bem… cof, cof… livro recomendadíssimo!

P.S. sobre a arte da capa (pule se não estiver com paciência): Cidade dos Ossos tinha detalhes na capa e na lombada que me lembram aqueles selos holográficos de VHSs menores de 14 me ignorem brilhantes! Em Cidade das Cinzas o pessoal do marketing resolveu economizar e cortou os brilhinhos da lombada.

Agora Cidade de Vidro parece um discoglobe! EU AMEI!! Estou ficando vesga por não conseguir parar de girar ele de um lado pro outro!

xo