A Madness So Discreet (Uma Loucura Discreta) – Mindy McGinnis

madnesssodiscreetcover

  •    Autor: Mindy McGinnis
  •    Editora: Katerine Tengen Books
  •    Nº de Páginas: 384
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2015
  •    Título Original: –
  •    Tradutor: –

   Avaliação: 7,0

Boston, 1890. Asilo Psiquiátrico Wayburne. Grace Mae vive um pesadelo: forçada a passar seus dias reclusa num manicômio, em meio a insanos de todo tipo, sobressaltada por gritos de horror a cada noite.
Grace não é louca. Apenas não consegue esquecer os terríveis segredos de família. Terríveis o suficiente para calar sua voz – jamais ouvida por ninguém, a não ser ela mesma, dentro de sua mente brilhante.
Mas, quando uma crise emocional violenta traz sua voz à tona, Grace é confinada em um porão escuro. É nesse momento em que ela conhece o dr. Thornhollow, um estudioso de psicologia criminal. Dona de um olhar aguçado e de uma memória prodigiosa, Grace passa a auxiliar o médico em investigações.
Ambos escapam para uma instituição mais segura em Ohio, em busca de amizade e esperança. Mas a tranquilidade dura pouco: surge um assassino em série que ataca brutalmente jovens mulheres.
Grace seguirá no encalço do criminoso, mesmo tendo de enfrentar seus próprios fantasmas.
Em Uma Loucura Discreta, Mindy McGinnis explora com maestria narrativa a tênue linha entre sanidade e loucura, revelando o lado obscuro que existe em todos nós.

————————————————————————————————————————————————————————————————–

Bem, isso foi constrangedor.

Fui atrás desse livro igual uma louca, eu precisava de uma história sombria, densa sobre insanidade e pela sinopse AMSD era tudo o que eu queria!

E o livro realmente começou assim. Grace estava presa num asilo, um manicômio horrível, e aquilo não era pouca coisa. Imagine o séc. XIX do ponto de vista da medicina, as coisas eram precárias, não? Agora pensa como eram os manicômios! As pessoas deixaram de pensar que a demência era obra do capeta somente para tratar os pacientes da ala psiquiatra como animais raivosos, sem o mínimo de compreensão e os sujeitando às piores humilhações. Ainda por cima Grace estava grávida.

Ela foi despachada pela própria família, que não poderia ter uma gravidez fora do casamento manchando a campanha do dono pai de Grace.

Então, obviamente, vamos ficando agoniados com o estado da moça. Mencionei que ela passou por um trauma medonho antes de ir para o hospício? Mas isso só é revelado mais para o meio do livro e vocês ainda tem muitas suposições a fazer sobre o que realmente aconteceu.

Eu estava muito otimista com o sofrimento de nossa protagonista (sou uma pessoa horrível, eu sei). Tudo estava indo de mal a pior na vida dela e coisas inomináveis eram feitas aos pacientes… até que passou.

A história foi de um thriller sombrio e angustiante para uma história de detetive água com açúcar, que nem tinha casos bons para serem resolvidos!

WTF?

Sério, estava tudo ótimo! A Grace estava traumatizada e maltratada, a moça não falava uma palavra e flashs do que tinha acontecido a atormentavam noite após noite. Até que ela virou ajudante de detetive com sua memória fotográfica super ph*da.

Não estou reclamando da histórias de detetive, mas nesse caso ficou demais ERA UMA COISA OU OUTRA MINDY! GRRRRR!

Amei a forma como a autora conseguia passar os sentimentos de Grace de forma fluída e implícita. Ela era sutil e por vezes tive que parar e respirar, porque as coisas que aconteceram com essa garota eram demais para a mente humana programada no modo normal. A visão do que realmente é a humanidade também foi colocada de forma crua, com sua hipocrisia tão revoltante quanto jamais foi. Mas essa quebra de ritmo me matou um pouquinho e, sinceramente, esperava um final impactante. Não aconteceu, apesar de tudo indicar um gran finale e fiquei chupando o dedo, awkward.

Alguém tem um livro realmente dark pra me indicar?

Anúncios
Comments
3 Responses to “A Madness So Discreet (Uma Loucura Discreta) – Mindy McGinnis”
  1. Natália disse:

    Cê pode ler A Redoma de Vidro… Bem pesado. É mais sobre depressão do que insanidade, mas dá pra imaginar como era a visão médica sobre sanidade mental na década de 50, né? Nada animadora também.

    Odeio quando livros bonitos decepcionam 😦

  2. Crislane Barbosa disse:

    Oi, Desi!
    Quando vi que o rumo da história iria mudar, mudei minha visão junto e gostei do livro.
    Entendo perfeitamente sua revolta, o livro é bom, mas muda de forma drástica. Mas foquei no lado psicológico e acabei aproveitando bem mais do livro.
    Beijão!
    Blog La Garota
    Blog As Meninas Que Leem Livros

  3. anaaavalenca disse:

    Talvez eu dê uma chance pra ele, talvez não, tem tantos livros incriveis pra ler ainda…

Mostre que está acordado:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Plágio? Não aqui!

    MyFreeCopyright.com Registered & Protectedcopyright video
  • Agora você já pode ir dormir :)

%d blogueiros gostam disto: