A Filha do Louco – Megan Shepherd

A-Filha-do-Louco-Megan-Shepherd

  •    Autor: Megtan Shepherd
  •    Editora: Novo Conceito
  •    Nº de Páginas: 416
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2014
  •    Título Original: The Madman’s Daughter
  •    Tradutor: Ivar Panazzolo

   Avaliação: 8,0

Juliet Moreau construiu sua vida em Londres trabalhando como arrumadeira – e tentando se esquecer do escândalo que arruinou sua reputação e a de sua mãe, afinal ninguém conseguira provar que seu pai, o Dr. Moreau, fora realmente o autor daquelas sinistras experiências envolvendo seres humanos e animais. De qualquer forma, seu pai e sua mãe estavam mortos agora, portanto, os boatos e as intrigas da sociedade londrina não poderiam mais afetá- la… Mas, então, ela descobre que o Dr. Moreau continua vivo, exilado em uma remota ilha tropical e, provavelmente, fazendo suas trágicas experiências. Acompanhada por Montgomery, o belo e jovem assistente do cirurgião, e Edward, um enigmático náufrago, Juliet viaja até a ilha para descobrir até onde são verdadeiras as acusações que apontam para sua família.

————————————————————————————————————————————————————————————————–

Um grito doloroso rasgou a noite. O susto fez com que eu jogasse os lençóis para fora da cama, e eu senti o suor encharcando meu pescoço. Seria o cachorro? Eu não conhecia nenhuma criatura capaz de emitir um som tão inumano. Conforme os gritos se arrastaram, assombrando-me a cada respiração, minha mente começou a devanear entre lugares mais sombrios. Imaginando o que faria um animal gritar daquele jeito. […] Estava trabalhando em algo novo. Algo diferente.

A Filha do Louco tomou um rumo completamente inesperado para mim. Não tenho o costume de conferir resenhas antes de ler um livro justamente para entrar na história cega, sem influências além da sinopse, pronta para as minhas próprias conclusões. Talvez dessa vez eu devesse ter ‘pesquisado’ um pouco mais antes de me jogar, não porque a estória seja ruim, longe disso, mas fui achando que era Páscoa e só depois percebi que era Halloween, dá pra entender?

Não? Mea culpa. Vamos deixar em que A Filha do Louco não é só um livro de época com um toque obscuro. É de época sim, e obscuro, para dizer o mínimo, mas é muito mais que isso… não leitor, me recuso a dizer mais, você vai ter que passar pelo que passei se quiser saber do que estou falando. Confesso que estou um pouco dramática agora, acabei de assistir O Grande Gatsby, impossível não se afetar e escrever um pouco obsessivamente depois disso.

Não sei se foi uma combinação sábia

Vamos aos fatos sem spoilers malvados, eu odeio a Juliet. Poderia muito bem ter ficado sem ela o livro todo. Lembrando a personagem de Shakespeare que inspirou seu nome ela é daquelas meninas indefesas e chatinhas que passam tempo demais dizendo o contrário. Pra piorar, ela gosta de se vangloriar (pra ela mesma, veja se isso não é caso de psiquiatra) que é fria, mórbida e meio louca. Nesse ponto tenho que concordar com o pai dela, que é um personagem nojento, diga-se de passagem, quando ele diz que ela não passa de uma histérica.

Quero dizer, a menina VAI atrás do pai que ela sabe que que a abandonou e admite para si mesma que as acusações horrorosas contra ele podem ser verdade. Ela INSISTE para ser levada até onde ele está apesar de ser avisada que as coisas na ilha são meio diferentes e quando chega lá ela RECLAMA, tem ataque de pelancas quando descobre a verdade verdadeira, apesar de o tempo TODO dizer que ela mesma é doentia e fria demais. Bitch, você cansa minha beleza literária! Para mim Juliet achou que o papai ia largar as vivissecções para recuperar o tempo perdido com a filhinha (pra quem ele se lixava até então) e organizar o casamento do ano com Montgomery, afinal agora que ele faz parte da família, por que não estreitar um pouco mais esses laços, se é que você me entende.

Desculpe, mencionei que ela arruma tempo pro triangulo amoroso no meio de uma crise macabra na Ilha de Lost vitoriana? Pois é.

Ok, me recuperando do meu próprio ataque de pelancas, adorei ter uma história com terror numa ilha tropical. Quantas vezes vemos isso? Os escritores tendem a seguir pela névoa e gigantescas casas mal iluminadas, alguém ser constantemente ameaçado num paraíso dos trópicos de uma forma que deixa o leitor ansioso e sem respirar é bem diferente.

Os outros personagens, que na minha opinião poderiam ter trancado Juliet num baú, são ótimos. Principalmente Montgomery, Balthazar e Edward que me deixavam agitada cada vez que apareciam, inquieta, tentando descobrir o que havia por de trás de suas fachadas aparentemente simples. Já o Doutor Moreau me deixou dividida entre sair correndo, gritando, ou bater nele com uma vara, para continuar mantendo distância.

Estou até agora impressionada com o quanto gostei do livro, apesar do quanto desgostei da personagem principal. Não sosseguei até saber o que estava acontecendo, foi simplesmente viciante acompanhar toda a ação da ilha e perceber que, com o passar do tempo, Juliet começa a se referir à ilha como uma pessoa, como se ela houvesse de alguma forma absorvido a maldade do pai e fosse cruel por si só. Sem contar o final, aquele final, que me fez querer gritar nããããããããão sem ligar pra acordar a casa toda, as pessoas tem que entender que reações exageradas para finais com ganchos são naturais.

A estória baseada no livro de H. G. Wells A Ilha do Doutor Moreau cumpre seu papel, é arrepiante e carregada de suspense para te deixar acordado lendo até perceber que falta pouco para ter que ‘acordar’. Agora estou assim, órfã de continuação! Pode uma coisa dessas?

xoxo e bom meio de semana!

P.S. direto da ilha:

Acho isso extremamente perturbador

Anúncios

Pandemônio – Lauren Oliver

Pandemonio_capa_red (1)

  •    Autor: Lauren Oliver
  •    Editora: Intrínseca
  •    Nº de Páginas: 304
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2013
  •    Título Original: Pandemonium
  •    Tradutor: Regiane Winarski

   Avaliação: 9,0

ATENÇÃO, RESENHA ALTAMENTE PERIGOSA PARA NÃO LEITORES DE DELÍRIO. Se você ainda não pegou amor delíria nervosa mantenha-se longe!

Dividida entre o passado — Alex, a luta pela sobrevivência na Selva — e o presente, no qual crescem as sementes de uma violenta revolução, Lena Haloway terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor sem, porém, se transformar em um zumbi: modo como os Inválidos se referem aos curados. Não importa o quanto o governo tema as emoções, as faíscas da revolta pouco a pouco incendeiam a sociedade, vindas de todos os lugares… inclusive de dentro.

————————————————————————————————————————————————

“O outro lado da liberdade é: quando você está completamente livre, também está completamente sozinho.”

Ah, o final de Delírio.

Como proceder depois daquele final? Como dona Oliver, como??

Lembram que, a muito tempo atrás, eu disse que Delírio era tão devagar no começo que quase o chutei pro fim da fila? Então, Pandemônio começa de onde Delírio acabou, e é tudo, menos parado!

Enquanto Delírio foi focado em amor proibido e na alegria de novas descobertas, Pandemônio é todo sobre Lena e sua nova vida. Eu sei que muita gente detestou a coisa do Antes e Agora, eu, particularmente, amei. Deu um ritmo inesperado para a leitura, como quando você fica indo de um personagem ao outro, só que desta vez eles se juntam e formam um só no final. Muito bom!

Então a Lena está na Selva. Ou devo dizer, aquela que um dia foi Lena está na Selva. Imaginem um personagem que evoluiu, mudou, se transformou completamente e não em uma só aspecto, mas em vários. A Lena de Delírio era uma coisinha tontinha, assustada e fragilizada pelas próprias descobertas, a Lena de Pandemônio já não tem mais nada a perder, somente memórias dolorosas.

Ela pensa no Alex, é claro que ela pensa, acho muito injusto que digam que a Lena o deixou de lado! Só que ela tem coisas mais urgentes pra se ocupar, tipo não morrer de inanição, não morrer de sede, não morrer de frio, esse tipo de situação chata que pode tomar o tempo de uma pessoa… Na minha humilde opinião ela até usa essa nova realidade como escudo contra suas feridas emocionais.

Temos mais ação agora. Lena encontra Graúna, Prego e outros ‘Inválidos’ que a ensinam o que há para ser ensinado em termos de sobrevivência com quase nada. Apesar de amar romances, gosto muito de livros com perseguições, correria, tiros de um lado pro outro. Não estou dizendo que temos tiros de um lado pro outro sabe, porque isso seria um spoiler sabe, mas não vai te fazer mal ter uma arma pra se defender enquanto estiver lendo, sabe, só por precaução…

Também é bom se preparar para toneladas de novos personagens e apenas lembranças dos antigos, essa mudança não poderia ser mais emblemática, tudo aquilo que Madalena um dia conheceu se foi. Ela se deu conta disso quando se deu conta que já havia passado tempo suficiente para Hana ter passado pela Intervenção e que a única pessoa que compartilhava e, mais importante, entendia os segredos de Lena estava perdida para sempre.

Para sempre é meio pesado né, eu pessoalmente acho que essa coisa toda de curar  amor parece algo que daria para ser revertido, mas sei lá, é só uma especulação, quem sabe que tipo de agonia a Lauren Oliver ainda planeja para a gente?

Reação padrão ao final de Delírio, Pandemônio…

Em suma, Pandemônio não tem delicadezas, mas tem paixão, não tem romance, mas tem saudade, não tem respostas, mas tem várias perguntas e, principalmente, tem um gancho de matar no final, assim como Delírio. Vamos esperar que Réquiem seja conclusivo, tenho medo dessa mania de deixar os leitores com o coração na mão da Oliver…

 

xoxo e feliz Páscoa

 

10x Insônia: Mocinhas Que Vão Chutar Seu Traseiro

Hey pretties! Como foi a semana literária de vocês? Aqui as coisas foram meio distópicas… Pra variar um pouco resolvi criar uma seção nova para o blog: 10x Insônia! Vou escolher um tema (isso não é uma democracia) e selecionar dez livros para apresentar nela. Pode ser desde meus livro favoritos de determinado gênero até meus dez livros mais odiados de outro gênero, capiche?

Essa semana o tema é: Mocinhas que vão chutar seu traseiro. Não importa quando, não importa como, nem onde. Elas são casca grossa e você, meu caro leitor, não tem a mínima chance.

Fiquei tentada a colocar  Daenerys Tagaryen, Nascida da Tormenta, A Não-Queimada blá blá blá aqui no meio, mas acho que ela entraria na categoria Mocinhas Que Vão Mandar Alguém Atear Fogo No Seu Traseiro, o que fica pra próxima…

Então, por ordem crescente de periculosidade:

10# Yelena Zaltana de Estudos Sobre Veneno 

ESTUDOS_SOBRE_VENENO_1308075868P

Prestes a ser enforcada, Yelena é agraciada com uma prorrogação extraordinária para sua pena. Ela aceita se tornar provadora de comida e morrer no lugar do Comandante de Ixia. Mas Valek, o chefe da segurança, não deixa brecha para fuga e a envenena com Pó de Borboleta. Somente se apresentando diariamente para ele, Yelena poderá tomar o antídoto. Enquanto tenta encontrar um meio de escapar, rebeldes planejam sitiar Ixia, e Yelena desenvolve poderes mágicos. Sua vida é ameaçada e ela precisa escolher de novo… Estudos sobre veneno, primeiro livro da trilogia As Lendas de Yelena Zaltana, é uma história que encanta como uma poção mágica. 

9# Thirrin de O Grito da Terra do Gelo

grito da terra do gelo

Thirrin Freer Forte-no-Braço Escudo-de-Tília não é uma adolescente comum. Aos 13 anos, ela é uma princesa, herdeira do trono da Terra do Gelo, e uma forte guerreira, determinada a seguir os passos do pai, o poderoso e justo rei Redrought. Mimada e insuportável, com pintas de megera indomada, ela esconde sua fragilidade por trás de uma resistente muralha que construiu ao redor de si mesma. Obstáculo que precisará transpor para lidar com o maior desafio de sua vida: a invasão de seu pequeno reino por um grande e poderoso império. Para resistir à invasão, ela deve reunir e liderar aliados improváveis e incomuns, aqueles que hoje só existem na imaginação dos homens, como lobisomens e vampiros. 

Todos eles têm a existência ameaçada pela racionalidade fria e científica que a tudo globaliza. O poderoso império de Polipontus – personificado na figura do cruel general Scipio Bellorum – também representa o inevitável e esmagador progresso tecnológico, que escraviza os homens e destrói a Natureza.A solução contra o poder do metal e do fogo do Império Polipontino é poder feminino, que une razão e sensibilidade, seja na liderança de Thirrin, na capacidade de cura das bruxas ou na força de guerreiras, que mostram sua bravura em impressionantes batalhas descritas pelo autor.

8# Sabriel de, bem, Sabriel

Resenha aqui!

Primeiro volume da série O Reino Antigo, lançamento Rocco Jovens Leitores no Brasil, Sabriel – A missão da guerreira é uma história de fantasia e aventura ambientada numa terra dividida entre a modernidade e as tradições mágicas por um enorme muro. De um lado, está a Terra dos Ancestrais, um lugar onde a razão e a tecnologia predominam; de outro, o Reino Antigo, onde vivem perigosas criaturas sobrenaturais e onde a magia impera. Neste lugar de equilíbrio frágil, apenas uma pessoa é designada para cruzar a barreira entre os dois mundos e evitar uma tragédia. Ao encontrar o corpo de um Mago da Ordem e tocar o sinal em sua testa, a jovem Sabriel acaba trazendo à vida novamente um dos Mortos Maiores. Filha de um necromante Abhorsen, cuja função é justamente colocar os mortos despertos em repouso para sempre, Sabriel não poderia imaginar que seu destino guardasse tantos desafios pela frente. Vivendo na Terra dos Ancestrais, ela se vê obrigada a voltar ao Reino Antigo, onde nasceu, quando recebe uma mensagem, a espada e as ferramentas de trabalho do pai, desaparecido. Em busca do velho pai, ela acaba descobrindo um terrível inimigo que ameaça destruir os dois lados do muro e uma perigosa missão, que não poderá recusar. A jornada de Sabriel pelo fascinante mundo da série O Reino Antigo é apenas o começo de uma inesquecível aventura, repleta de mistério, suspense e magia.

7# Karou de Feita de Fumaça e Osso

Feita

Outra resenha aqui!

Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu.Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra de outro mundo.O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? A pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho. Um romance moderno e arrebatador, em que batalhas épicas e um amor proibido unem-se na esperança de um mundo refeito.

6# Katniss de Jogos Vorazes

jogos-vorazes-livro

Mais uma resenha..

Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?

5# Tris de Divergente

divergente

Adivinhou, uma resenha

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.

A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.

E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

4# Nihal de A Garota da Terra do Vento

Apesar de ser um dos meus favoritos de todos os tempos, não tem resenha

Apesar de ser um dos meus favoritos de todos os tempos, não tem resenha

Criada por um armeiro e envolta pelo mistério de nunca ter conhecido sua mãe, Nihal vive na Terra do Vento e passa seus dias brincando de fazer guerra com um grupo de amigos. A vida da jovem muda quando a torre onde vive é invadida e ela presencia a morte de Livon, o homem que a criou e que tanto amou. 
Disposta a vingar o extermínio de seu povo e a proteger os inocentes das tropas do tirano, Nihal decide tornar-se uma guerreira de verdade. Ela sabia que a invasão da Terra do Vento era mera questão de tempo, pois a guerra do Tirano já havia conquistado cinco das oito Terras Livres do Mundo Emerso. Para isso, a jovem se prepara estudando magia e treinando com afinco na Academia da Ordem dos Cavaleiros de Dragão da Terra do Sol. 
Nihal conta com sua infalível espada de cristal negro, forjada por Livon, o melhor armeiro da região, e com o inestimável apoio do seu fiel amigo Senar, o mais jovem integrante do Conselho dos Magos. Em sua busca, ela encontra ainda o amor pelo cavaleiro Fen e os ensinamentos do mestre Ido. 
A jovem Nihal enfrenta o preconceito dos homens e a dificuldade de lidar com sua feminilidade. A semi-elfo esforça-se ainda para encontrar uma razão para lutar que não seja somente a vingança. Ela chega a abandonar a guerra a fim de conhecer a vida em paz num povoado livre. Conhece a felicidade de viver sem rancor no coração, mas volta aos campos de batalha. Seu destino já estava escrito havia muito tempo.

3# Rose de O Beijo das Sombras

Sim, minha edição tem essa capa, lidem com sso

Sim, minha edição tem essa capa, lidem com sso

Lissa Dragomir é uma adolescente especial, por várias razões: ela é a princesa de uma família real muito importante na sociedade de vampiros conhecidos como Moroi. Por causa desse status, Lissa atrai a amizade dos alunos Moroi mais populares na escola em que estuda, a São Vladimir. Sua melhor amiga, no entanto, não carrega consigo o mesmo prestígio: meio vampira, meio humana, Rose Hathaway é uma Dampira cuja missão é se tornar uma guardiã e proteger Lissa dos Strigoi – os poderosos vampiros que se corromperam e precisam do sangue Moroi para manter sua imortalidade. 
Pressentindo que algo muito ruim vai acontecer com Lissa se continuarem na São Vladimir, Rose decide que elas devem fugir dali e viver escondidas entre os humanos. O risco de um ataque dos Strigoi é maior, mas elas passam dois anos assim, aparentemente a salvo, até finalmente serem capturadas e trazidas de volta pelos guardiões da escola. 
Mas isso é só o começo. Em O Beijo das Sombras, Lissa e Rose retomam não apenas a rotina de estudos na São Vladimir como também o convívio com a fútil hierarquia estudantil, dividida entre aqueles que pertencem e os que não pertencem às famílias reais de vampiros. São obrigadas a relembrar as causas de sua fuga e a enfrentar suas temíveis consequências. E, quem sabe, poderão encontrar um par romântico aqui e outro ali. Mais importante, Rose descobre por que Lissa é assim tão especial: que poderes se escondem por trás de seu doce e inocente olhar?

2# Katsa de Graceling

graceling-1Em seu livro de estreia, Kristin Cashore leva os leitores para o incrível mundo dos sete reinos, onde vive Katsa, uma jovem guerreira que descobre ter uma habilidade extraordinária: o dom de matar. Combinando elementos de fantasia e romance, a autora retrata habilmente as descobertas e as angústias da garota, evitada e temida pelo seu dom. O livro alcançou a lista dos mais vendidos do The New York Times e recebeu diversos prêmios, entre eles o de livro do ano da prestigiada Publishers Weekly. A jovem guerreira Katsa tem olhos de cores diferentes: um azul e outro verde. Esta peculiaridade não ressalta apenas a beleza da jovem, mas também a marca de um verdadeiro graceling, alguém com um dom extraordinário. Alguns são excelentes nadadores, dançarinos, cozinheiros, matemáticos. Mas o dom de Katsa é diferente e único: ela possui a habilidade de lutar e matar. Por causa disto, é usada como assassina pelo cruel rei de Middluns, o seu próprio tio. Consumida pela culpa, Katsa cria o Conselho, uma confraria, a partir da qual passa a promover missões secretas para prevenir injustiças e lutar pela liberdade. Combinando elementos de fantasia e romance, Cashore retrata habilmente as crises, descobertas e angústias de Katsa. Evitada e temida pelo seu Dom, a jovem luta com questões de liberdade, verdade e lealdade enquanto tenta sair do domínio maligno de seu tio. Uma tarefa complicada para quem cresceu sem muitos amigos. A reviravolta na vida de Katsa começa quando conhece um misterioso jovem, durante uma missão de resgate orquestrada pelo Conselho. De volta para Middluns, Katsa descobre que Pó é o mais jovem dos herdeiros do reino de Lienid, neto do ancião que resgatou e também um Graceling. Diferentemente dos outros, Po não a teme e se mostra capaz de olhá-la nos olhos. E com o seu misterioso dom, parece ser o único capaz de enfrentar Katsa em combate. Juntos, os dois Graceling partem numa aventura para encontrar o responsável pelo sequestro do avô de Po e descobrem muito mais do que esperavam sobre seus dons, suas vidas e sobre o futuro de todos os 7 reinos. Com uma escrita elegante e personagens inesquecíveis, Kristin Cashore cria uma fantasia empolgante, uma aventura que desafia a própria morte, e uma belíssima história de amor. 

1# Celaena de Trono de Vidro

Ainda, veja bem, ainda não tem resenha

Ainda, veja bem, ainda não tem resenha

Depois de cumprir um ano de trabalhos forçados nas minas de sal de Endovier por seus crimes, Celaena Sardothien, 18 anos, é arrastada diante do príncipe. Príncipe Dorian lhe oferece a liberdade sob uma condição: ela deve atuar como seu campeão em um concurso para encontrar o novo assassino real. Seus adversários são ladrões e assassinos, guerreiros de todo o império, cada um patrocinado por um membro do conselho do rei. Se ela vencer seus adversários em uma série de etapas eliminatórias servirá no reino durante três anos e em seguida terá sua liberdade concedida.

 Celaena acha suas sessões de treinamento com o capitão da guarda Westfall desafiadoras e exaustivas. Mas ela está entediada com a vida da corte. As coisas ficam um pouco mais interessantes quando o príncipe começa a mostrar interesse por ela… Mas é o rude capitão Westfall que parece entendê-la melhor.

Então um dos outros concorrentes aparece morto rapidamente seguido por outros… Pode Celaena descobrir quem é o assassino antes que ela se torne a nova vítima? A medida que a investigação da jovem assassina se desenrola a busca por respostas a leva descobrir um destino maior do que ela jamais poderia ter imaginado.

(Bônus) Ismae de Grave Mercy

Sintam o poder da capa.

Sintam o poder da capa.

Por que ser a ovelha, quando você pode ser o lobo?

Aos dezessete anos de idade Ismae escapa a brutalidade de um casamento arranjado para o santuário do convento de St Mortain, onde as irmãs ainda servem aos deuses antigos. Aqui, ela descobre que o próprio Deus da Morte a abençoou com dons perigosos — e um destino violento. Se ela decidir ficar no convento, ela será treinada como uma assassina e serva da Morte. Para reivindicar sua nova vida, ela tem de destruir a vida dos outros.A mais importante tarefa do Ismae a leva direto para a alta corte da Bretanha — onde ela encontra-se lamentavelmente despreparada — não só para os jogos mortais de intriga e traição, mas também para as escolhas impossíveis que ela deve fazer. Pois como ela poderia lançar a vingança da morte sobre alvo que, contra  vontade, roubou o seu coração? – Tradução livre leve e solta

E ai, o que acharam? Concordam, discordam, não dão a mínima? Comentem, comentem!

xoxo e bom meio de semana!