TAG – Como Eu Leio

Hey pretties! Quando li o título dessa TAG achei que era alguma coisa no sentido de “em que posição eu prefiro ler” ou coisa do gênero.  Pensei WTF? Quem vai filmar isso??, mas assim que vi como realmente era fiquei toda animada para responder.

Não fiz vídeo, apesar de sentir saudades, ainda preciso de tempo pra parar e gravar algo legal. Por isso resolvi responder por aqui mesmo e atulhar vocês de gifs ou qualquer coisa que me ajude a expressar melhor, tecnicamente, o de sempre. Vamos lá?

1. Como você descobre sobre novos livros para ler?

Acompanho o que tem de novidades pelo Skoob, na página de pré venda da Saraiva (geralmente bem atualizada) e em outros blogs. Antes tinha mais tempo para checar o Face e Twitter, via em tempo real as coisas, agora só quando chego em casa ou tenho uma pausa no trabalho.

2. Como você entrou nesse mundo da leitura?

Mais ou menos quando ganhei Os Risadinhas, Roddy Doyle, de uma amiga da família, pessoa incrível por sinal. Foi o primeiro livro que li num dia só (abafa a parte que ele é cheio de figuras, ok?), do alto dos meus 8 anos achei grande coisa. Pouco tempo depois a mesma pessoa incrível me deu Harry Potter e a Pedra Filosofal, que tinha acabado de ser lançado aqui, e pronto. Caminho sem volta.

3. Como o seu gosto literário mudou com o passar do tempo?

Sou uma menina de fases. Já estive na onda dos clássicos, de lá fui para os juvenis, daí para Young Adults, romances de época, então de volta para clássicos… Acho que os únicos livros que sempre me faz suspirar e nunca me enjoa são os épicos fantásticos, não consigo resistir a uma boa estória de espadas e dragões!

4. Com que frequência você compra livros?

Juro, JURO que estou tentando diminuir! Antes eu comprava compulsivamente livros todo mês, e percebi que tenho que maneirar… Não que eu não vá lê-los, mas agora meio que acabou o espaço pra guardar tantos livros (são cerca de 1600). Com algumas pessoas me policiando (aka boyfriend e mãe) tenho comprado no máximo três por mês.

5. Como você entrou nesse mundo dos Canais Literários?

Como não entrar?! As vezes só escrever sobre livros não é o suficiente, corremos o risco de ficarmos chatos, repetitivos, ou até insatisfeitos com o resultado. Sem contar a parte onde deixamos nossos leitores ver os malucos por trás do teclado, nos soltamos e falamos um monte, compartilhamos bastante e é TÃO gostoso ter respostas nos vídeos.

Blogueiros tentando entreter

Disse a menina que não grava um vídeo a mais de um ano. Droga.

6. Como você reage quando não gosta do final de um livro?

De forma madura e adulta. Tranco o livro no freezer e fico encarando-o por horas, tendo conversas mentais com os personagens, depois com o autor, dai de volta pros personagens. Quando canso tiro o livro do freezer e o coloco na prateleira da vergonha, junto com os outros livros perigosos, por motivo de segurança. Vai que eles atacam as estórias boas… De guarda eu coloco as Cronicas de Gelo e Fogo, porque, você sabe, ninguém se atreveria a passar por George R R Martin.

7. Com que frequência você espia a última página do livro pra ver o que acontece no final?

Ler a ultima página? Larguei. Agora sou blogueira.

Faz ANOS que consegui me livrar dessa praga, digo, hábito. Só de responder essa pergunta me dá uma certa nostalgia, porque da minha infância até finalzinho da adolescência eu simplesmente não podia ficar sem ler  última página do livro que estava para começar. Pode parecer impossível pra quem ainda faz isso, mas juro, é para o seu próprio bem!

8. Quem você vai marcar pra responder essa TAG?

Vou marcar minha parsa Natália Pacheco, do Vire a Página, Sol do Meu Meio Devaneio e as fofas do Mundo de Tinta!

 

E vocês, quais são as suas respostas?

 

xoxo e bom fim de semana!

Anúncios

Enfeitiçadas – Jessica Spotswood

Enfeitiçadas-Jessica-Spotswood-Editora-Arqueiro-ML-crop

  •    Autor: Jessica Spotswood
  •    Editora: Arqueiro
  •    Nº de Páginas: 272
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2014
  •    Título Original: Born Wicked
  •    Tradutor: Ana Ban

   Avaliação: 8,5

Antes do alvorecer do século XX, um trio de irmãs chegará a idade adulta, todas bruxas. Uma delas terá o dom da magia mental e será a bruxa mais poderosa a nascer em muitos séculos: ela terá poder suficiente para mudar o rumo da história, para suscitar o ressurgimento do poder das bruxas ou um segundo Terror. Quando Cate descobre esta profecia no diário de sua mãe, morta há poucos anos, entende que precisa repensar seus planos. Qual será a melhor opção: servir a Irmandade, longe dos olhos vigilantes dos Irmãos Caçadores de Bruxas, aceitar uma proposta de casamento que lhe garanta proteção e segurança ou abandonar tudo e viver um grande amor proibido?

 Prepare-se para se encantar com os jovens pretendentes de Cate, abominar o ódio e a repulsa que os Irmãos dedicam a meninas e mulheres, e aguardar ansiosamente pela sequência de As Crônicas das Irmãs Bruxas.

————————————————————————————————————————————————————————————————–

Uau, leitura em dia, blog atualizado! Parabéns para mim! Prova que dormir é, de fato, uma atividade opcional…

Dois posts numa semana! Dois posts numa semana!

Sabe quando você quer um pouco de magia, mas não só isso? Você quer romance também e alguma coisa charmosa, tipo uma estória de época, mas está meio difícil de achar por aqui? Eu te compreendo perfeitamente caro leitor, e digo: seus problemas acabaram! Chegou Enfeitiçadas:

“Gabrielle é inocente. Eu não sou. Fui perversa e traiçoeira, usei magia mental contra meu próprio pai. As palavras dos Irmãos ressoam na minha cabeça. Eu sou uma bruxa. Devia ter sido eu, não ela.

Mas agradeço ao Senhor por não ter sido. Em que tipo de garota esse pensamento me transformava?”

Enfeitiçadas é contado em primeira pessoa por Cate Cahill, a irmã mais velha de três, e flutua entre os vários dilemas da moça. Quem vai escolher como marido antes que escolham por ela? Como vai proteger as irmãs do olhar vigiante e cheio de censura dos Irmãos? O que ela vai fazer pra esconder toda a magia transbordando dentro de si e das caçulas?

Disfarçá-las, talvez?

O único problema pra mim é que não tem tanta bruxaria… Não que não tenha absolutamente naaaada, mas ainda assim, queria mais! Vocês estão carecas de saber que eu adoro personagens mágicas, cheias de poderes especiais que podem tocar o terror à vontade né? Pois é, a Cate tem tudo pra ser assim, mas ela se segura tanto, mas tanto, pra neutralizar a sua parte bruxa que quase dá certo. Lógico que isso faz parte do contexto, só que AHHH! Ao invés de magia, ela foca nos seus deveres.

O livro é fino, tem só 271 páginas, letras grandes, então vocês certamente entendem a vontade que eu tinha de sacudir a Cate pelos ombros e berrar “Para de falar de como você é responsável pelas suas irmãs o TEMPO TODO e volta pra estória, bitch! Nós já entendemos seu recado QUEREMOS-MAIS-FINN!” 

Como não deveria deixar de ser, para balancear a protagonista sombria, os personagens secundários dão um show à parte com suas personalidades bem diferentes. A governanta é facilmente comparável à preceptora de A Menina Que Não Sabia Ler, ambígua, um personagem misterioso que não me deixava decidir se deveria confiar nela ou não. Resolvi seguir o costume e não dar brecha pra tal Elena fazer algum estrago do nada. Juro que não é spoiler, só um comentário, mas sempre que eu desconfio de um personagem acontece alguma coisa que de razão para essa desconfiança depois… Um sexto sentido literário, talvez?

As irmãs, Tess e Maura poderiam ter seus próprios pontos de vista, por mim, mas quem realmente rouba a cena é Finn Belastra o jardineiro/estudioso/filho de uma mulher muito bacana. Não importa o que digam, ele é exatamente o cara que faria qualquer garota vitoriana -e leitora contemporânea- suspirar do começo ao fim.

Eu me encanto por bruxas e gosto ainda mais quando as mocinhas não são ovelhas indefesas que dependem de mocinhos chatos de galocha. Enfeitiçadas tem isso de sobra, envolto em um bom mistério que te deixa formulando teorias sem parar. Está esperando o que para aprender sobre as Filhas de Persephone e a poderosa Irmandade?!

Por fim, um desabafo.

Até hoje nunca encontrei uma Profecia sobre mim, devo dizer que fico um pouco desapontada, afinal 80% dos protagonistas de romances de fantasia tem as próprias profecias. Acho que isso é um sinal, talvez a minha carta de Hogwarts não tenha se perdido na greve do Correio Coruja local… Droga.

E a continuação? Eu ainda não tenho a continuação! A vida é mesmo muito injusta.

xoxo e bom carnaval