Através do Universo – Beth Revis

Mundo Perfeito - Capa 03

  •     Autor: Beth Revis
  •    Editora: Novo Século
  •    Nº de Páginas: 408
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2012
  •    Título Original: Across The Universe
  •    Tradutor: Sonia Strong

   Avaliação: 6,5

Amy deixou para trás seus amigos, seu namorado, seu mundo inteiro para se juntar aos pais a bordo da nave espacial Godspeed. Para a longa viagem, ela e seus pais foram criogenicamente congelados, esperando enfim acordarem em um novo planeta: Terra-Centauri. Porém, cinquenta anos antes do previsto, a câmara criogênica de número 42 é misteriosamente desligada, e Amy se vê forçada a sair de seu profundo sono de gelo. Alguém havia tentado matá-la. Agora, Amy está presa em um novo – e pequeno – mundo, onde nada parece fazer sentido. Os 2312 passageiros a bordo de Godspeed são liderados pelo tirânico e assustador Eldest. Elder, seu rebelde sucessor, parece ao mesmo tempo fascinado por Amy e ansioso por descobrir nele mesmo tudo o que se espera de um líder. Amy quer desesperadamente confiar em Elder, mas será que ela deve colocar seu destino nas mãos de um garoto que jamais conhecera a vida fora daquelas frias paredes de metal? Tudo o que Amy sabe é que ela e Elder devem correr para desvendar os segredos mais ocultos de Godspeed, antes que o assassino tente matá-la novamente.

————————————————————————————————————————————————————————————————–

Que foi? Pensaram que eu ia abandonar as distopias assim, tão facilmente? Não tem perigo! Posso ter ficado sem inspiração nos últimos dias, mas não larguei as realidades alternativas e os mundos pós-apocalípticos não!

Ganhei Através do Universo junto com outros livros no meu aniversário (logo ele vai estar feat. num vídeo especial) e, depois de passar tanto tempo sofrendo de longe enquanto outros leitores se pavoneavam com ele pra cima e pra baixo, pude finalmente embarcar na Godspeed!

De repente foi culpa da minha expectativa super alta, mas Através do Universo não foi tudo o que eu queria que fosse. O problema não é a estória… é quem participa dela.

Amy é carga não essencial, uma pessoa criogenizada que vai na bagagem por pedido especial de pessoas altamente essenciais apenas como enfeite, já que não vai ter utilidade alguma no novo mundo. Duro de se ouvir né? Voz de Darth Vader: “Você é uma carga(!) inútil(!!)” Enfim, até fiquei com pena dela no começo, os técnicos que a preparavam para o gelo, mesmo diante da sua nudez e total vulnerabilidade, continuavam debatendo o tal despropósito dela, me ultrajando a ponto de ficar pensando “Há, esperem só seus nerdões, aposto que ela vai fazer alguma coisa muito incrível e super badasss assim que botar os pezinhos para fora dessa câmara de criogenia!”

E então o momento chegou (já está na sinopse, não é spoiler) e sinceramente? Ela continuou sendo carga não essencial pra mim, descongelada ou não.

Todas as coisas boas que eu esperava que acontecessem por intermédio dela aconteceram, mas só porque a estória PEDIA por isso para continuar! Decisões tolas saídas do nada, senso de auto-preservação nulo, ideias forçadas que até para a mente mais congelada parecem péssimas e aquele tipo de artificialidade que às vezes encontramos em alguns personagens e não sabemos explicar direito, mas sabemos que eles não são reais o suficiente para nós… Amy não me convenceu.

É triste pensar que o outro protagonista, Elder, também não ajudou em nada, ainda mais sem Sazon que a menina, com o botão de liga/desliga dos hormônios meio pifado. Sou de suspirar e torcer muito para que o casal principal fique junto logo, que se acerte e viva feliz para sempre, adoro um bom romance no meio das tramas! Quer um dado? A temperatura do espaço é -270.23ºC, em homenagem ao romance desses dois.

É sério. É frio assim, o espaço. E os dois.

“Então como você ainda me dá 6,5 pra esse livro, blogueira? Como??” A resposta é Godspeed.

A NAVE TEM PASTOS DE VACAS DENTRO DELA! Ela é do tamanho de um pequeno país, dá pra entrar na sua cabeça isso?

Em segundo lugar, as coisas que acontecem dentro da Godspeed. Não pooooooosso entrar em detalhes, não mesmo, então vou tentar explicar meu fascínio bem por cima. A situação em meio a qual a Amy acorda é toda bizarra, mas nada se comparada às gerações de pessoas que vivem dentro da nave sem jamais terem sequer pisado num planeta! O porquê de se comportarem como fazem e pensarem como pensam é explicado conforme o livro avança, mas, logo na sequencia, sempre acontecia uma coisa ainda mais bem bolada para manter o tom. A nave em si foi bem detalhada, mas dar uma olhada no mapa (não disponível na edição brasileira) que vem na edição norte-americana não mata ninguém:

Across-the-Universe_Godspeed-blue-print.

Em suma, Através do Universo foi um livro que dividiu muito minha opinião, oscilei entre o ‘amey’ e o ‘argh’ vezes demais para ficar contente, mas ainda assim me manteve interessada. Não posso dizer que estou morrendo para ter a sequência em mãos, porém a chance de reencontrar toda a ficção científica de alto nível à bordo da Godspeed com certeza me colocará na pré-venda de A Million Suns.

xoxo e bom fim de semana!

Anúncios
Comments
6 Responses to “Através do Universo – Beth Revis”
  1. Lendo a sua resenha vi que é melhor eu baixar um pouquinho as minhas expectativas para o livro. Eu quero muito ler ele desde que o vi num blog americano e ainda quero, mas vou tentar ir com menos sede ao pote.
    Adorei sua resenha!
    Beijos!

  2. mauraparvatis disse:

    Oi, Desi!
    Ah, já estava tirando-o da lista de desejados quando você chegou na parte interessante, a nave! Eu fiquei até mais empolgada em ler… Pela nave!!! HAHAHAH

    Beigos!

  3. Natália disse:

    E eu achando que esse livro tinha algo a ver com o filme-musical… Tsc, tsc…

  4. Olá, Dée!
    Eu sorteei esse livro no blog ano passado e sempre tive vontade de lê-lo, mas agora com a sua análise eu já não estou mais tão a fim assim. Tomara que pelo menos a sequência inclua mais cenas de ação intergalática e que os personagens possam apresentar mais carisma.
    Bjão.

  5. jheyscilane disse:

    Ahhh a nota é meio desanimante kkkkk mas como meu interesse no livro ainda não morreu (mesmo depois da descoberta da carga inútil ser mesmo inútil kkkk) irei continuar com meu pensamento de “vou ler” e mesmo ele sendo uma distopia ahauhaau acho que sou uma das poucas que se cansa fácil com temas :/ vou melhorar meu gênio de paciência
    Bjs

  6. Jacqueline disse:

    OMG, pasto de vaca? não dá pra imaginar isso..mesmo sendo ficção cientifica, acho que exageraram um tiquinho né, coerência é tudo! Mas ainda estou curiosa para ler, pois a temática foge tanto do comum, que chama minha atenção. bjos

Mostre que está acordado:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Plágio? Não aqui!

    MyFreeCopyright.com Registered & Protectedcopyright video
  • Agora você já pode ir dormir :)

%d blogueiros gostam disto: