Enquanto Isso, na Arena Literária…

Blogueira também é gente, blogueira também sai de férias! Me imaginem numa ilha luxuosa, deitada de chapelão à beira do mar, tomando bons drinques e curtindo uma ótima leitura. Não poderia ser mais distante do que aconteceu de verdade, mas e daí? Voltei, o IYRDIW voltou e estamos a todo vapor para mais um ano insone!

————————————————————————————————————————————————————————————————–

“Livro físico.”

-Como é, bebeu que babado forte, criatura? Livro físico? Se é livro, é lógico que é físico, como não seria? E-book não conta…

Lembram dessa época? E das previsões apocalípticas, logo depois, de que os e-books seriam o fim dos livros convencionais (o termo chique)? Amigos de lados opostos, famílias destruídas, guerras civis… Quantas discussões a inclusão do livro digital no mercado nacional e internacional ainda geraria. E depois de tanto bate boca e bate papos ainda estamos num clima de incerteza.

Se lá fora o livro digital já se mesclou no mercado, com preços amigáveis e democráticos, concorrendo com os paperbacks também barateados, aqui, por outro lado, a situação é outra. Com a chegada da Amazon nas terras tupiniquins criou-se uma enorme expectativa com o preço dos e-books (o primeiro –e praticamente único- produto comercializado pela Amazon Brasileira) e o resultado foi um tanto quanto decepcionante. Quem esperava preços arrasadoramente baixos, de um dígito, no maior estilo 50 centarro (sim, até as almas mais obscuras podem sonhar) caiu do cavalo. E, para ajudar #sóquenão não havia a pronta-entrega do tal leitor digital super esperado.

Enfim,passada a surpresa inicial os leitores se dividiram em dois grupos: o Eu-Não-Me-Conformo e o Eu-Já-Sabia. Os Eu-Não-Me-Conformo  levaram a primeira impressão a sério! Muita gente desistiu dos e-books ali mesmo, voltou pra casa (vai, modo de dizer) e xingou muito no twitter (tá, isso aconteceu mesmo) questionando os valores, a margem de lucro das editoras, exigindo preços menores, acusando e cuspindo até no seu Zé da padaria, que não tinha nada a com isso. Os Eu Já Sabia limitaram-se a suspirar, afinal, já sabiam.

Pensando nisso, mais uma vez vieram as editoras tentando mostrar que e-book é um negócio respeitável, que merece nosso carinho e lançaram campanhas para democratizar os tais por aqui. Por exemplo a Novo Conceito, disse em nota no início de Janeiro que 30% de seu catálogo de best-sellers terá os preços reduzidos através da página da editora na Amazon www.amazon.com.br/novoconceito . Já a Intrínseca  informou num bate-papo com os leitores que espera baixar gradativamente o preços dos e-books durante o ano.

Então veio a verdadeira corrida armamentista #todaseditorapira pra mostrar que tem e-books e aquelas mais engajadas no público internauta até se arriscaram a entrar no tanque de tubarões e responder perguntas #ounão sobre preços e tecnicalidades. Funcionou? Não exatamente. Abriu-se um nova questão, e-books são os primos pobres dos livros físicos ou devem ser tratados com a mesma deferência?

Se por um lado você pode armazenar milhares de livros num único hd que cabe na palma da sua mão, você jamais vai de fato segurar um e-book, sentir o cheiro de um e-book, guardar um e-book na estante e passar horas admirando o serviço. Só essas razões já são o suficiente para deixar muitos bibliófilos com nojinho da versão digital! Já aqueles que dizem que o importante mesmo é ler e que não importa como seja, sacaram seus readers pra mostrar que a tal desculpa da “dor de cabeça” não impedirá mais ninguém de ter sua diversão garantida! A bem da verdade, e concordando com a nova catequese das editoras nacionais, livros e e-books são duas coisas diferentes e investir em um não necessariamente anula o outro.

Agora, mesmo com a guerra sendo outra, as perguntas mais frequentes geradas servem para responder àquela questão inicial: “Como o e-book vai custar praticamente o mesmo que o livro físico se ele não é o livro físico?” Portanto, a revolta com o preço alto dos e-books serve para mostrar que o valor dado pelas pessoas aos livros físicos ainda é alto e continuará sendo.

Nos resta decidir  se vamos expandir os nossos corações leitores e criar espaço para os e-books, ou se vamos continuar promovendo duelos imaginários entre dois produtos diferentes com o mesmo conteúdo.

Aliás, os Eu Já Sabia pediram para avisar que já sabiam.

xoxo

Anúncios

Receitinhas – Bolo de Nozes, Chocolate e Merengue

“Não se preocupe com o quanto você come entre o Natal e o Ano Novo, é entre o Ano Novo e o Natal que mora o perigo.”

Sim ou claro?

Mas quem disse que me controlo com essa receita? Sem preconceitos, sem barreiras, sem limites!

Nada mais justo do que compartilhar com vocês essa receita antiguinha da revista Cráudia que dei uma adaptada de leve sóquenão, tanto na massa quanto no recheio! Então, abram seus bloquinhos e:

Rende 14 fatias do Céu

Tempo de preparo: 20min

Tempo de cozimento: 30min

Dificuldade:  Ø Ø O

Massa:

  • 12 ovos (clara e gema separadas)
  • 2 3/4 xícaras de açúcar
  • 3/4 de xícara de farinha de rosca
  • 600 g de nozes moídas

Ganache:

  • 150g de chocolate meio amargo
  • 1 caixinha de creme de leite
  • 2 col. de sopa de leite

Le Merengue:

  • 3 xícaras de açúcar
  • 7 claras
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha

Para a ganache:

Pique o chocolate e reserve. Numa panela (de preferência antiaderente) cozinhe o creme de leite e o leite, mexendo sem parar, até que apareçam bolhas. Desligue o fogo e junte o chocolate. Mexe até seus braços doerem ou a mistura ficar lustrosa e homogênea, você vai perceber que a ganache engrossou. Deixe esfriar.

Preparo do bolo:

Na batedeira, bata as claras em neve. Sem parar de bater, junte o açúcar até obter picos firmes. Adicione as gemas e bata por mais cinco minutos. Em uma tigela, misture a farinha de rosca com as nozes moídas e adicione às claras batidas, mexendo delicadamente (sério).

Ela deve ficar assim. Quem já fez macarons reconhece a consistência.

Ela deve ficar assim. Quem já fez macarons reconhece a consistência.

Distribua a massa entre duas fôrmas de 27 cm de diâmetro, forradas com papel-manteiga (ou não), unte  com manteiga e polvilhe com farinha de rosca. Leve ao forno médio(180 ºC), preaquecido, por 30 minutos ou até dourar. Deixe amornar e desenforme. Sobre uma das metades espalhe a ganache fria (ou no mínimo morna) e cubra com a outra.

O 'problema' toma forma!

O ‘problema’ toma forma!

Prepare le merengue:

Em um refratário, leve ao fogo, em banho-maria, o açúcar e as claras, mexendo sempre, até dissolver completamente o açúcar e amornar, a mistura vai ficar meio amarelada mesmo. Transfira para a batedeira e bata até obter picos firmes. Misture a baunilha ainda batendo. Cubra o bolo com todo o merengue, sim, todo, vai render bastante e parece que vai ficar exagerado, mas acredite, use todo o merengue.

Decore com nozes ou cerejas e seja feliz!

DSC04571

Tomara que você fiquem tão tarados por esse bolo quanto eu! E por favor, não esqueçam de comentar o resultado aqui se forem fazer! =D

xoxo e bom meio de semana!

Os 10 Livros Mais Insones de 2012

FELIZ ANO NOVO!!! [insira aqui seus votos de felicidades eternas para todos os que estão lendo esse post]

Como foram de festas (com festas me refiro à comida), se divertiram bastante?  (ainda falando da comida) Ganharam muitos livros? Por favor, digam que sim! Não tem nada melhor do que ganhar livros de Natal!

Bem, agora que 2012 oficialmente acabou, me sinto à vontade para fazer o tão famoso e clichê TOP 10 sem correr o risco de deixar alguma ótima leitura de fora. Para ajudar selecionei apenas livros lançados nesse ano, ou seja, mesmo tendo lido outros tantos livros tão encantadores quanto esses (Sangue Quente é um bom exemplo) apenas os publicados aqui -e lá fora no caso dos importados- em 2012 puderam ser elegidos.

Vamos lá?

10) Dearly, Departed – Lia Habel

DEARLYN_DEPARTED

Amor zumbi de primeira qualidade, esse livro me ganhou pelo romance, mas os diálogos de mestre, a ação e a ciência steampunk deixam qualquer leitor doido para saber o que acontece depois. (Esse tem resenha aqui)

9) Tinta Perigosa – Melissa Marr

Tinta Perigosa - Wicked Lovely

Melissa Marr nos dá muita magia e explora sem medo as consequências psicológicas de um encontro entre humanos e o sobrenatural. (também tem resenha aqui)

8) O Festim dos Corvos – George R. R. Martin

O Festim dos Corvos - Livro 4

Apesar de esse ser o livro com menos reviravoltas absurdas e destruidoras de toda a série, a grande imersão nos costumes de Westeros é impagável.

7) Delírio – Lauren Oliver

delirio

Distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia P.S.: Resenha

6) Doce e Distante – Libba Bray

doce distante

Esse era para ser o final de uma trilogia MUITO querida, mas se tornou algo ainda maior. A dona Bray se superou nesse aqui e me deixou em caquinhos por um bom tempo depois que terminei a leitura! (Especial sobre a trilogia aqui)

5) Anjo Mecânico – Cassandra Clare

ANJO_MECANICO_1327640284P

O que poderia ser melhor do que vários caçadores de sombras gostosões por todos os lados? Vários caçadores de sombras gostosões por todos os lados na Londres do século XIX  (resenha aqui \o/)

4) Divergente – Veronica Roth

divergente (1)

Distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia, distopia (É, mas também tem Resenha)

3) A Dança dos Dragões – George R. R. Martin

DançadosDragoes

É uma verdade universalmente conhecida de que a minha pessoa em posse de um livro da série As Crônicas de Gelo e Fogo não tem vida própria. Ainda mais quando a previsão para o próximo lançamento ainda é nebulosa.

2) Days of Blood and Starlight – Laini Taylor

days of

Essa é a continuação de Feita de Fumaça e Osso, um livro que me deixou um tanto frustrada. Vai ver é por isso mesmo que fiquei tão surpresa e tão contente com Days of Blood and Starlight e fui incapaz de tirá-lo da cabeça por semanas!

1) A Corrida de Escorpião – Maggie Stiefvater

A-Corrida-de-Escorpião

Minha previsão se concretizou. O ano virou e não achei outro livro que me encantasse tanto quanto esse. Para uma reação mais histérica, clique nesse link aqui.

E ai, o que achou? Concorda no que? Discorda com qual? Me fale dos seus favoritos e quais os livros que te tiraram o sono nesse ano que passou!

xoxo e uma ótima semana!