Dearly, Departed – Lia Habel

  •     Autor: Lia Habel
  •    Editora: iD
  •    Nº de Páginas: 480
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2012
  •    Título Original: Dearly, Departed
  •    Tradutor: Ana Luisa Astiz

   Avaliação: 8,0 (-2,0)

Ela é Nora Dearly, uma garota neovitoriana de 17 anos que sofre com a morte dos pais e vive infeliz aos cuidados da tia interesseira. Ele é Bram Griswold, um jovem soldado punk, corajoso, lindo nobre…e morto! No ano de 2187, em meio a uma violenta guerra entre vitorianos e punks, surge um perigoso vírus, capaz de matar e trazer novamente à vida. As pessoas tornam-se zumbis, mas nem todos são assassinos e devoradores de carne. Há os que lutam para que o vírus não se espalhe… Apenas Nora tem o poder da cura em suas mãos, ou melhor, em, seu sangue. Ela não sabe disso, e corre perigo. É papel de Bram protegê-la…

————————————————————————————————————————————————————————————————–

Só me toquei mesmo que Dearly, Departed é um distópico quando estava pra começar a resenha. Apesar da falsa utopia da sociedade neovitoriana o clima não é o mesmo das outras conhecidas distopias. Esse livro também é steampunk, mas dá tão pouco destaque às características engenhocas desse grupo-gênero-tipo que só lembrei quando reli a contracapa.

Dearly, Departed parece mesmo é um faroeste com zumbis, muitos zumbis.

E a melhor parte do livro não é o conflito punks vs neovitorianos, ou a medicina pró não-vivos, nem a vida militar pouco convencional da Base Z.

Estou falando do l’amour!

Ah, o amor…

Fiquei completamente apaixonada pela redoma criada por Bram e Nora para eles mesmos no meio de todas as esquisitices daquele mundo de 2187! Quem diria, heim? Logo eu, que a pouco menos de um ano atrás, estava aqui mesmo dizendo o quanto os mortos-vivos são horripilantes e desprezíveis e que deveríamos passar a fogo qualquer um que avistássemos. Logo eu, torcendo pelo romance de uma garota com um cara… podre!

O mundo dá suas voltas.

Ok, podre foi figura de linguagem. Como diria o próprio Dra. Chase:

“-A cibernética proporciona uma melhor qualidade de vida pós-morte.” Pág. 172

“Ma che?”

Certo, explico: a ciência moderna, liderada pelo famoso Dr. Dearly, pode manter os corpos dos tais não-vivos quase que em perfeito estado. Contanto que eles não abusem e saiam por ai desgastando as juntas à toa, podem ter uma vida quase que normal, considerando as circunstâncias.

Claro, existem os zumbis tradicionais, do tipo que geme e te quer pro almoço, mas quem (que não esteja com o braço sendo mastigado por um desses) liga?!! Tem caras mortos, usando válvulas e bombas para manter o corpo reanimado funcionando! E eles são hilários!!

Lia Habel mostrou em Dearly que tem uma habilidade que faria muitos autores consagrados darem seus primogênitos às fadas por algo parecido. Diálogos ÓTIMOS, do tipo que você pode escutar os personagens falando! Pode até parecer meio bobo, mas deixa a estória muito mais empolgante e real!

Como nem tudo são flores, infelizmente a tradução/revisão foi uma verdadeira decepção! Por isso os -2,0 da nota, não acho justo pagarmos caro por livros com traduções que nos lembram aquele programa online ou revisões desleixadas. Se o livro não tivesse todos os erros que encontrei a leitura teria sido bem mais proveitosa!

De qualquer forma, ainda estou tentando me acostumar à parte em que me apaixonei pelo mocinho quase-podre!

“Usei um pouco da minha voz de ‘zumbi apavorante’, com um ligeiro toque de morte-bate-à-porta. Foi o suficiente para que ele me levasse a sério.” Pág. 104

E depois dizem que sutileza é tudo! Gosto da natureza eficiente de Bram, que pode ser fruto da vida militar, mas que o ajuda a ser um bom líder e até lidar com Nora quando está sendo chata de propósito (ela consegue ser muito chata quando quer). A garota pode ser bastante impetuosa, mas é uma boa pessoa, e se esforça do seu jeito para conquistar o Bram.

Mas não se preocupe, pessoa-que-não-está-nem-ai-pro-romance, essa foi só a parte eu mais gostei. Dearly, Departed tem muita ação, aventura e várias situações… tensas. Estou contando os dias para 25 de Setembro, quando Dearly, Beloved será lançado lá fora e poderemos saber o que vai acontecer depois do… bem, do que aconteceu no final!

xoxo e boa semana!

BTW, uma trilha sonora? Flogging Molly!

Posso sugerir outra? Dropkick Murphys – Johnny, I Hardly Knew Ya

xoxo e boa semana!

Anúncios
Comments
18 Responses to “Dearly, Departed – Lia Habel”
  1. Comecei a ler essa resenha pensando em comentar “rá!, odeio histórias de zumbi, vou passar longe desse, apesar da capa linda!”.
    Mas ok, você me fez mudar de ideia. Como assim zumbis ciborgues? E eu fiquei realmente curiosa sobre a narrativa da autora. E se você compartilhava do meu sentimento de EWWW com zumbis e gostou desse livro, acho que posso ler e gostar, né?

    Queria ter esse dom de fazer resenhas com esses gifs, fica tão mais engraçada! hahahaha
    Adorei!
    Beijos!

  2. Othávio disse:

    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas chamou bastante minha atenção… e a história é algo bem diferente. Tipo, zumbis ciborgues em um livro distópico/steampunk, é algo realmente novo… vou pensar se compro ou não… tem muita coisa na frente dele na lista de compras 🙂

  3. Jheyscilane disse:

    Hum eu não gosto de zumbis *.* Aqui em casa quem é viciado neles é meu pai rsrs viciado em The Walking Dead (é assim que se escreve? ahahahh) no geral eu não consigo visualizar eles se apaixonando por alguém =( eu adoro a capa desse livro (mas já faz meses que não compro mais livros só pela capa) acho que deixarei a ideia amadurecer um pouco mais rsrs e fiquei surpresa ao ver que o romance foi a parte que você mais gostou, não descarto a leitura mas também não sairei que nem uma louca para comprá-lo u.u

  4. Qd vc disse romance com Zumbi, pensei logo em SAngue Quente (q eu n quero ler #preconceito) maaaass já que não é bem assim, e depois de ter lido Banidos. HUuummm interessante!
    “darem seus primogênitos às fadas” vc leu Encantados de Ferro demais rsrsrsrsrsrs Mesmo assim, me conquistou os dialogos otimos!
    Pela capa achei q fosse ter um pouco de romance historico e talz…

  5. Gleice Couto disse:

    Aaaaaaaaaaaaah, não queria ler o livro, mas agora quero. HAHAHHAHA Primeiro, tinha brochado pq é série, néeee? Mas dps de ver essa resenha redondinha, falando que o livro vem cheio de amoooooooooor e aventura, vou encarar! 😀

    Sobre tradução/revisão ——-> tenso. Engraçado que a iD não costuma vacilar mt. Uma pena. =/

    Beijos, fofa!

  6. Gabi disse:

    Putz, eu estava a ponto de vender um rim para comprar esse livro até a sua resenha. Não entenda mal, fiquei mega-super-ultra-hyper animada pela história, mas se tem uma coisa que -desculpe o termo- me tira o tesão da leitura é ficar esbarrando em erros de revisão/tradução. E os livros da iD estão ca-ré-si-mos! Mais até que a Rocco (OMFG, is serious!), e é mesmo um absurdo pagar caro pelo livro com um trabalho barato/porco *revoltada*

    Desanimei legal, pensando sériamente em comprar o hardcover lá fora mesmo.

    Haha’ o mundo dá voltas mesmo! Eu também pensava assim até ler Sangue Quente -embora também tenha ficado meio ‘Eww, tá podre!’- e agora ACHO que não ficarei mais tão chocada em pensar assim novamente. (Mas provavelmente vou continuar meio ‘Eww ;x’)

    Beijitos

  7. Natália disse:

    Se puder evitar, me RECUSO a ler algo mal revisado. Caraca, CHEGA! Olha o preço dos livros da iD, como não se dão ao trabalhar de fazer um livro bem feito? Não importa se a história é boa, só penso em comprar na próxima edição.

    Tomarnocu.

    ¬¬

  8. mauraparvatis disse:

    Surtei no momento em que vi o tweet falando sobre esse post, surtei enquanto lia, surtei após a leitura, surtei no Twitter, após umas séries de surtos: AHHH, DEARLEY, DEPARTED!!! AHHH! Me acalmei e li a resenha, de novo, e fiquei bem puta com relação aos problemas de revisão da ID, poxa, ID, eu ainda quero ler esse livro, quero surtar enquanto o leio mas… vender meu rim pra comprar um livro tão caro com erros, não dá, ”não pódi”.
    Eu adorei os gifs usados nessa resenha!
    Eu estava muito, muito tensa com relação ao ”zumbis” dessa história, pensando: MEL DELS, ela se apaixonada por um cara morto, mas… ele, basicamente, não está ”tecnicamente” morto, ufa, menos nojento :X

    Beigos!!!

  9. Mary disse:

    Eu odeio zumbis. Odeio, odeio, odeio. Mas por algum motivo, estou LOUCA pra ler esse livro! kk Parece ser tão legal! E é uma mistura de futuro + era vitoriana, quer algo mais perfeito que isso? *—————-* Pior, eu ia comprar e depois desisti. =/ Me arrependerei eternamente.

    beijão!

    @mariapsalles

  10. Nay disse:

    Quero^^
    Adoro essa dinamica futurista.
    Bjos!

  11. cheirolivros disse:

    Primeiro: ESSES GIFS (sempre) KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Segundo: Eu necessito desse livro! tipo, MUITO. Só que a ID tá com uns precinhos estilo montanhas de salina, né? Malvadeza isso, eles estão com títulos maravilhosos D: E como assim ele tá recheado de erros de revisão? brochante.

    Essa resenha assassina me fez desejá-lo mais desesperadamente do que eu já estava desejando D:

  12. Mara disse:

    Caraca eu adorei sua resenha, me deu vontade de verdade de ler, eu gosto de histórias assim.
    A O l’amour! rsrsrs
    Parabéns!

    http://umlugarnaestante.blogspot.com.br/

  13. Ana disse:

    Eu li e simplesmente AMEI!!

    Alguém saberia me dizer se tem previsão de quando Dearly, Beloved será lançado aqui?

  14. ana souza disse:

    Li e amei o livro,viajei com a história.não vejo a hora de lançarem Dearly,Beloved.

  15. Carol Gama disse:

    Aiiiii. Esse livro é mesmo maravilhoso. Acabei de lê-lo e estou aqui surtando esperando a Amazon chegar com o Dearly, Beloved

Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] Lirael pensei: nada como um pouco de necromancia macabra depois de um revigorante romance zumbi (Dearly, Departed). Faz bem pra mente, entende? Ainda mais quando você fecha o ciclo com o bom e velho vodu da […]

  2. […] Amor zumbi de primeira qualidade, esse livro me ganhou pelo romance, mas os diálogos de mestre, a ação e a ciência steampunk deixam qualquer leitor doido para saber o que acontece depois. (Esse tem resenha aqui) […]

  3. […] Amor zumbi de primeira qualidade, esse livro me ganhou pelo romance, mas os diálogos de mestre, a ação e a ciência steampunk deixam qualquer leitor doido para saber o que acontece depois. (Esse tem resenha aqui) […]



Mostre que está acordado:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Plágio? Não aqui!

    MyFreeCopyright.com Registered & Protectedcopyright video
  • Agora você já pode ir dormir :)

%d blogueiros gostam disto: