Bookshelf Tour, The Third

Vamos para a terceira parte do tour pelas minhas estantes!

Sorry por não ter feito o upload antes, mas a internet por aqui estava meio temperamental. Period.

Vou fazer o vídeo com os livros de culinária sim, essa semana, mas ele virá depois do NOMB.  Obrigada por assistir até aqui \o/

xoxo

Anúncios

Receitinhas – Cheesecake Bicolor

Então, ontem eu estava com vontade de algum doce, não muito doce, com chocolate. Também estava morrendo de preguiça de fazer alguma coisa elaborada… fui vasculhar a  cozinha..

…e achei o que precisava! Um pacote de mistura para pettit gateau/brownie (Fleischmann), cream cheese e uns pedaços de ovo de Páscoa que sobreviveram escondidos em algum lugar sombrio. Até então.

Eu sou fãzona de cheesecakes, independente da base, o recheio de queijo é sempre suave e contrasta magicamente com o doce da cobertura! E não é difícil de fazer, o que é ainda melhor!!

Usei como base a mistura para  pettit gateau/brownie, preparando conforme indicado na embalagem e colocando a massa SEM ASSAR numa forma redonda de 30cm, untada com manteiga. Se você não quiser comprar a mistura ou não encontrar, pode usar a receita de brownies daqui mesmo, mas sem as avelãs e morangos, e ser feliz.

Pré-aqueça seu forno em 140 Cº (baixo).

Para o recheio de queijo:

  • 300g de cream cheese
  • 2 ovos (gema e clara separados)
  • 1/2 xícara de de chá de açúcar
  • 1 col. de chá de essência de baunilha ou raspas de limão

Bata as claras em neve, picos firmes, e reserve. Bata as gemas, também na batedeira, até ficarem clarinhas, daí junte o cream cheese, o açúcar e a essência (ou raspas) e bata em velocidade média até tem um creme homogêneo elindo. Com uma espátula, vá juntando as claras à massa cuidadosamente. Sério, resista ao impulso de sair mexendo tudo loucamente! Ou seu cheesecake vai perder o ponto e ficar meio meh.
Coloque a mistura por cima da massa de brownie, usando a espátula para deixar as coisas mais retinhas por cima. Leve ao forno e deixe assar por 1h. Quando a superfície ficar dourada/levemente amarronzada, tire do forno e deixe esfriar pelo menos 15 min.
Enquanto isso prepare sua calda rápida:
  • 150g de chocolate ao leite ou meio amargo picado
  • 4 col. de sopa de manteiga sem sal
  • 1 col. de sopa de açúcar

Coloque tudo numa panela em fogo médio e mexa até ter uma calda homogênea. Cuidado, o chocolate vai derreter mais rápido do que você imagina.
Desenforme do cheesecake, com cuidado para não quebrar e jogue a calda por cima.
Sirva com sorvete se tiver, fica melhor ainda!
Bom apetite.

Bookshelf Tour – O Retorno

Pretties, essa é a segunda parte do tour pelas minhas estantes. Continuei exatamente de onde havia parado no último vídeo. Pooooor favor, me deixem saber nos comentários se vocês estão afim de um vídeo com meus livros de Gastronomia/Decoração, oks?

Seat back and enjoy, esse está ligeiramente mais longo que o anterior. =]

Logo sai a 3ª parte!

Bookshelf Tour – 1ª Parte

Pras pessoas super bacanas que estavam interessadas em um tour pelas minhas estantes, agora tem! As fotos da nova disposição dos meus livros vão ser atualizadas logo, logo.

O próximo vídeo vai continuar de onde parei e acredito que vou ter que fazer mais um, pelo menos, para mostrar os livros da outra estante. Não sei o que vocês acham da ideia de ter um quarto vídeo mostrando meus livros de culinária e decoração. Se acham que é bacana, ou enxeção de linguiça, me deixem saber nos comentários, ok?

xoxo

P.S.: Quando a câmera começa a tremer descontroladamente, é porque estou perdendo o equilibrio

A Melhor Capa de 2011: Resultado

Vocês votaram e a capa escolhida foi: Bios, da brazuca Luiza Salazar!

Quando Liz abre os olhos, ela se vê nas ruínas de uma cidade. E como se isso não fosse assustador o suficiente, tem mais um detalhe: Ela não se lembra de nada. Completamente perdida e sem nada além de uma mochila com alguns itens pessoais, Liz logo é resgatada por um grupo de adolescentes com ela, apenas para descobrir que eles são refugiados em um mundo onde ser humano é um crime. Uma grande corporação conhecida como O Instituto, responsável por criar vida artificial – no chamado Projeto Bios – está caçando os humanos restantes sob o pretexto de que eles são selvagens e instintivos demais para serem livre. A medida que passa tempo com estas pessoas, perturbada por fragmentos de memórias que não consegue conectar, Liz logo começa a suspeitar que o item do seu passado, aquele que ela não consegue lembrar, pode ser o segredo para a acabar com a guerra. E que o Instituto vai fazer de tudo para ver esse segredo – e ela – enterrados para sempre. 

Bios foi editado pela Underworld e tem resenha dele aqui. A capa maravilhosa, bem como a arte interna e a diagramação, são criações da Marina Avila, uma designer que assina várias capas excepcionalmente criativas!

E agora vamos ao sorteio que rolou entre os comentaristas!

O kit Um Mundo Brilhante de T. Greenwood (Novo Conceito) vai para:

#TodosCorre pra contar os comentários

#TodosPira no scroll

#NatáliaReage ao ver que ganhou

Parabéns Natália! \o/ Já sabe, é só esperar um tiquinho, que eu já entro em contato por e-mail pra pegar seus dados, ok?

Obrigada a todos que participaram, tenham um ótemô fim de semana, até la próxima! (tem outras promos rolando, não se esqueçam)

xoxo

New on My Bookshelf… Vol 6 (It’s a movie!)

(Corram enquanto podem!)

Pretties! Vamos para mais um NOMB, com uma novidade dessa vez. Tomei vergonha na cara e gravei meu primeiro vídeo! #osmoviemakerpira

A mando do Ministério dos Blogueiros, devo avisar que o tom de voz da gravação está abaixo do normal não por vergonha, também, mas por parentes dodóis no quarto ao lado.

Segurem seus corações, esse pequeno NOMB foi gravado nada menos que 11 vezes, repito: 11 v-e-z-e-s ! Um pior que o outro e, apesar das minhas habilidades de edição nível Yoda só que ao contrário não consegui eliminar os sons do ambiente…

Interpretem meus pulinhos como animação comedida, não nervosismo, e todos seremos felizes, ok?

Juro que o próximo vai ser melhor! Sério.

As fotos prometidas:

Pois é, a Mimo só resolveu aparecer quando eu já estava fotografando os livros. Na próxima eu dou um jeito de convence-la a ficar nas filmagens.

É isso pessoal, vou lá me enterrar numa avalanche, vejo vocês logo mais.

xoxo

Asas – Aprilynne Pike

❤ capa emborrachada

  •    Autor: Aprilynne Pike
  •    Editora: Bertrand Brasil
  •    Nº de Páginas: 294
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2011
  •    Título Original: Wings
  •    Tradutor: Sibele Menegazzi
  •    Avaliação: 7,0
Laurel foi encontrada na porta da casa de seus pais adotivos e sempre estudou com a mãe. Aos quinze anos, após se mudar para uma nova cidade e se matricular em uma escola, sua vida muda completamente. Para começar, desde sempre solitária, ela ganha um grupo de amigos e um admirador apaixonado, David. E isso será apenas o início. À primeira vista, Laurel é uma garota comum, com os problemas de qualquer adolescente. O que a diferencia, porém, é ter um segredo maravilhoso e perigoso: ela é uma fada e tem a missão de proteger o portal de Avalon.
—————————————————————————————————————————–

Passei Asas na frente na fila dos vou ler por dois motivos: quando tirei TODOS os meus livros do quarto e os coloquei no sofá, Asas estava bem em cima; estava totalmente empolgada pelas criticas puro amor a Encantos, segundo volume da série, lançamento desse mês.

Estou tentando variar mais minhas leituras, tentei juro deixar uma ordem pré-definida para não ficar só no distópico – de fada – distópico – de fada – distópico… my bad. Vamos para mais uma resenha de livro com história sobre fadas.

Imagine que interessante você, uma garota de quinze anos, com uma pele de dar inveja, acordar um belo dia com a primeira espinha de sua vida, nas costas. Ok. Imagine acordar no outro dia e perceber que ela aumentou ligeiramente, ok. Repita isso no outro dia, e no outro e no outro… até você ter um caroço do tamanho de uma bola de golfe no meio das suas costas. Você reza até pros deuses nórdicos e promete que se o negócio não sumir até o dia seguinte, vai contar pros seus pais.

Ele some.

E surge uma FLOR GIGANTE no lugar.

Sério, eu levei um tempão tentando enfiar essa imagem na minha cabeça. Ficava pensando que a autora tinha errado alguma coisa na hora da descrição, porque ela estava falando mesmo era de um florzona! Não asas. Fadas tem asas, certo? Certo??

Bem, não Laurel. Ela é uma fadinha sim, mas isso quer dizer que é uma planta. Nem pulsação a menina tem! Ela foi ‘enxertada’ na família humana dela (sua memória foi apagada) com uma missão muito importante, e tem todo um time de fadas cuidando para que ninguém a descubra.

Certo, parece legal, né? E é mesmo. Mas Aprilynne Pike demorou muito para dar todas essas explicações… vou levar em conta que Laurel descobriu quase tudo por conta própria, contando apenas com a ajuda de David, seu amigo humano (ponto para a trama: a menina compartilhou logo de uma vez o que estava acontecendo com ela). O problema é que o livro tem só 294 páginas…

Foi mais ou menos o que aconteceu com A Filha do Pastor das Árvores, vi o fim se aproximando e o clima amornando.

Daí, de repente, o quadro mudou, ficou frenético! Uma loucura! Solta o som

O vilão deu as caras e já atacou e um monte de coisas aconteceu e continuou acontecendo!

Enfim, o final compensou bastante os pontos fracos do livro: além da lentidão inicial, Pike veio com o famigerado triangulo amoroso. Estou cansada disso, pra ser bem sincera… Team David ou Team Tamani (um elfo), até consigo imaginar o que vai acontecer no final, mas mesmo assim, eu podia ficar sem essa. Adorei as fadas diferentes e sua cultura, foram ideias bem originais, mas a mocinha dividida entre dois amores já está meio batido.

Recomendo Asas, se você tiver paciência, e gostar de capas emborrachadas iloveit

Vou ler Encantos logo, logo, juro que estou no pique do Salém ainda!

xoxo

P.S.: Lá fora, a série já teve seus terceiro e quarto volumes lançados e acredito que pare por ai.

As capas de Wings, Spells, Illusions e Destined.

Eu voltei, aqui é o meu lugar!

Pretties, i’m back! Dessa vez não vou mais abandonar ninguém, sério. Acontece que minhas estantes meuquarto estão passando por um extreme makeover, o que cria pó suficiente para outro Saara e acaba com qualquer espaço remanescente numa casa já pequena.

E lá vão eles pro sofá novamente...

Enfim, além das reações alérgicas e cansaço físico, minha mente resolveu tirar férias também… fazem exatos 4 dias que não leio absolutamente nada! E quando sentei aqui pra tentar exprimir algumas palavras o resultado foi no minimo frustrante.

Então, depois da grande vergonha de não ter nenhuma resenha nova pra vocês, decidi postar uma receita que faço sempre: panquecas.

Ééééé, aquelas panquecas de desenho da Disney! Essas mesmas! Quando eu era pequena, achava que só poderia comer delas se fosse pros E.U.A. porque nunca tinha visto ninguém aqui comer. Não sei até hoje como não morri de lombriga! Depois de velha foi que aprendi a receita e agora como panquecas sempre que tenho vontade… sempre!

Mirtilos *.*

É lindamente fácil, anota aí no bloquinho:

Serve 1 Pato Donald morrendo de fome (12 panquecas)

Tempo de preparo: 10 min + 20 min na geladeira

Tempo de cozimento: 15 min

Dificuldade:  Ø O O

  •    225g de farinha de trigo
  •   1 col de chá (cheia) de fermento em pó
  •   25g de manteiga ou margarina s/ sal
  •   100g de açúcar
  •   1 ovo batido
  •   1 xícara de leite
  •   1 col de chá de essência de baunilha
  •   Frutas, mel e manteiga para servir (opcional, mas altamente recomendado)

Preparo:

Numa pequena tigela, bata o ovo com metade do açúcar, reserve. Derreta a manteiga e junte-a à outra metade do açúcar. Mexa bem e adicione o leite, a essência e 1 colher de chá de água fria.

Em outra tigela, grande, misture a farinha, o fermento e 1 pitada de sal. Adicione o ovo+açúcar, incorpore. Junte a mistura de manteiga+açúcar+leite e bata tudo com uma colher ou mixer. Leve à geladeira por 20 minutos.

Aqueça um frigideira BEM anti-aderente no fogo médio. Eu uso uma concha de molho para colocar a massa na frigideira, mas você pode escolher outro tamanho, isso só vai alterar a circunferência da panqueca. Deixe fritar por um minuto de cada lado, ou até que a superfície comece a ficar com bolhinhas. É nessa hora que você pode começar a treinar aquela virada no ar. Acreditem, é mais fácil do que parece, só cuidado com quem estiver perto.

Sirva imediatamente, com manteiga, frutas ou mel ou tudo junto. Ou sem nada, você que sabe. Essas panquecas ficam boas até geladas.

Bom apetite!

P.S.: Em alguns lugares essas panquecas são conhecidas como panquecas escocesas. Na verdade elas não são norte-americanas, fomos enganados.

Ganhadores da Pascoa Cor de Rosa!

FELIZ PÁSCOA! E ai? Quem aí enfiou os dois pés na jaca e tem chocolate debaixo da unha até agora? Aproveitou pra prometer não comer mais chocolate esse mês? Comeu mesmo assim? Prometeu não comer mais nada pro resto da vida? Absorveu um ovo número 20 em segundos? Não é Ano Novo, é Páscoa, pára de prometer e come logo tudo de uma vez!

Ok, empolguei. A glicose dominou, minhas desculpas.

Vamos aos sortudos. Lembrando que o primeiro sorteado vai escolher entre os dois kits: Para Sempre e Presentes da Vida (editora Novo Conceito) e o segundo fica com o outro.

O sorteio foi feito pelo Integer Widget Wizard . Preparados? O primeiro ganhador é:

Erika Barreto!

O segundo ganhador é:

Fernanda Mendonça!

Parabéns moças! Fiquem de olho nas suas caixas de e-mail, logo o IYRDIW passa por lá!

Esse sorteio é um oferecimento King’s Landing Royal MightyPress e leva o Real selo Rei Jeoffrey Lannister Baratheon de qualidade. Desculpa.

Ele ameaçou cortar minha cabeça e botá-la nos muros da cidade, caso eu não aceitasse a honra de exibir o selo. Just saying.

Boa semana! xoxo