Sangue e Chocolate – Annette Curtis Klause

Artes de capa e miolo totalmente perfeitas!!

  •    Autor: Annette Curtis Klause
  •    Editora: Underworld
  •    Nº de Páginas: 254
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2011
  •    Título Original: Blood and Chocolate
  •    Tradutor:  Eric Novello
  •    Avaliação: 8,5
Vivian Gandillon aprecia a mudança, a dor doce e poderosa que a transforma de garota à lobo. Com dezesseis anos, ela é bonita e forte, e todos os jovens lobos estão aos seus pés. Mas Vivian ainda está de luto pela morte de seu pai; seu grupo continua sem um líder e em desordem, e ela se sente perdida nos subúrbios de Maryland. Vivian acaba se apaixonando por um humano, bom e gentil, um alívio bem vindo para ela. Ele é fascinado por magia, e Vivian deseja se revelar para ele. No entanto, a lealdade de Vivian é colocada à prova quando um assassinato brutal ameaça expor o grupo. Movendo-se entre dois mundos, ela não parece pertencer a nenhum dos dois. O que ela é realmente? Humana ou Besta? O que tem o gosto mais doce? Sangue ou Chocolate?
————————————————————————————————————————————————————————————————–

É tão bom NÃO ler sobre a mocinha tímida, politicamente correta que só quer ser normal, sabe, pra variar um pouco. A Vivian tem consciência de que é linda de morrer morenafatal e que todo mundo concorda. Ok, até ai no problems, mocinhas tem esse direito! Mas a Vivi se orgulha mesmo é de ser uma cadela.

Calma benhê, não é isso que você está pensando, pelo menos, não exatamente isso.

Os loup-garou de Annette C. Klause estão muito mais para lobo que símio, eles existem há séculos e formam uma verdadeira sociedade à parte. Ninguém se torna um lobisomem, é algo de nascença, se você for mordido por um vai ficar com um pedaço a menos e talvez até hidrofobia, mas nenhum pelo a mais. A matilha é capaz de tudo para proteger os seus e pode parecer muito cruel, mas não podemos esquecer que seus instintos falam mais alto do que qualquer outra coisa. Até a mãe de Vivian, Esmé, se parece mais com uma companheira de balada do que com sua mãe. Expressões como acasalar e lutar por um macho são corriqueiras ali.

Não que a garota goste disso.

Na verdade ela fica meio envergonhada pelos modos de Esmé, a fêmea nunca mais foi a mesma depois que seu parceiro, pai de Vivian e líder da matilha, morreu tragicamente em um incêndio. Um incêndio provocado por humanos raivosos depois que os amigos lobos de Vivi saíram do controle e mataram outras pessoas. É claro que ela acha que tem uma parcela de culpa.

Acontece de toda a matilha se mudar para Maryland e Vivian, mesmo ciente das diferenças básicas entre os loup-garou e os humanos, não consegue evitar se apaixonar por Aiden, um adolescente totalmente diferente dos lobos de sua matilha. Ele é sensível, odeia violência, foge de discussões e está à procura de algo místico, qualquer coisa que mude sua vida chata e normal.

Esse relacionamento não passa despercebido pelos outros lobos que, nem preciso dizer, não acham que seja super legal. Ela é praticamente a única fêmea jovem que restou e todos esperam que escolha um parceiro logo. Principalmente Gabriel, o gostosodedoer candidato a próximo líder.  Além disso, ela quer muito mostrar a Aiden a criatura magnifica em que pode se transformar e acredita que é a hora certa.

Sim, eu disse a mesma coisa. ‘Vivis, não-faça-isso!’

Há, até parece que alguém ia me ouvir…

Só que agora ela pegou um coelho muito maior do que pode mastigar. Alguém (leia-se lobisomem) destripou uma pessoa atrás de um bar e Vivian tem todos os motivos para acreditar que foi ela quem fez o serviço. Mesmo sem conseguir se lembrar de nada dos acontecimentos da fatídica noite.

É um livro sexy, repleto de personagens sedutores e acontecimentos marcantes. Li ele em 4 horas e fiquei de DPL, não queria que acabasse tão rápido. Confesso que não vou ver o filme, tenho medo de perder todas as imagens que projetei da história e que ficaram tão bem na minha cabeça.

É um crime não haver um seguimento para Sangue e Chocolate!! Annette, sua tratante, how could you?  Como você pode fazer um livro que devoramos igual a chocolate e não escrever uma continuação?!

¬¬ mocinha

xoxo
Edit 15.02.2012 : Acabei de assistir o filme. Por favor, não façam isso com vocês.
Anúncios

Happy B-Day Sobre Livros!

Esse post vai ser um pouquinho diferente, vou parabenizar o site Sobre Livros pela aniversário de 2 anos! Para quem ainda não conhece, o SL é um dos mais completos sites sobre livros dãh do Brasil, com resenhas, releases e fichas completíssimas de livros e séries. Eu, particularmente, fico super feliz de ver o 2º b-day deles já que sempre acompanhei o site, super amor. Meu caso com o SL começou quando, cansada de não saber se meus livros preferidos teriam continuação, joguei minhas dúvidas na net. Adivinhem quem apareceu?? Pois é!

Desde então acesso diariamente e sempre que posso contribuo ou não deixando comentários, os coitados já até conhecem a doida aqui… Então parabéns Rafael, Tiago, Caio, Laila, Polly, Luciana, Schulai, Jean, Fernando, Pedro, David e a todos os outros colaboradores pelo trabalho incrível de vocês! Na missão de levar cultura, paixão por leitura e informação de qualidade vocês são experts!

Espero continuar me divertindo horrores com o SL por mais 2 mil anos! Podem contar com a sua tiete aqui!

Well done

xo eve

Julieta Imortal – Stacey Jay

Capa clean, estranhamente me agradou bastante...

  •    Autor: Stacey Jay
  •    Editora: Novo Conceito
  •    Nº de Páginas: 237
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2011
  •    Título Original: Juliet Immortal 
  •    Tradutor:  Patrícia Dias Reis
  •    Avaliação: 7,5

Julieta Capuleto não tirou a própria vida. Ela foi assassinada pela pessoa em quem mais confiava, seu marido, Romeu Montecchio, que fez o sacrifício para assegurar sua imortalidade. Mas Romeu não imaginou que Julieta também teria vida eterna e se tornaria uma agente dos Embaixadores da Luz. Por setecentos anos, Julieta lutou para preservar o amor e as vidas de inocentes, enquanto Romeu tinha por fim destruir o coração humano. Mas agora que Julieta encontrou seu amor proibido, Romeu fará de tudo que estiver ao seu alcance para destruir a felicidade dela.

Ok, ok. Fiquei empacada no começo, bem empacada mesmo. Ele estava muito confuso e levei algum tempo para perceber que era porque a Julieta tava toda atrapalhada. Ela não deveria ter encarnado novamente, não em tão pouco tempo.

A Julie trabalha para os Embaixadores da Luz, mas enquanto não está em missão na Terra ela fica nas sombras, incorpórea e inconsciente. Normalmente ela só precisa vir ao nosso plano de 50 a 50 anos (convenhamos que não é todo dia que verdadeiras almas gêmeas aparecem) então imaginem a surpresa quando ela se vê consciente no corpo de uma garota perturbada que havia acabado de matar a si e ao namorado, propositalmente, num acidente de carro. 12 anos depois da última encarnação!

Alguma coisa estava errada.

O universo, não contente, ainda manda Romeu exatamente para o corpo de quem?? Do ex-namorado morto, é claro! Outra coisa que nunca acontecia, Romeu sempre tinha que caçar Julieta a torto e a direito em suas encarnações. E, para corar as esquisitices, ela estava só. Ninguém veio lhe explicar o que deveria ser feito e nem seus poderes pareciam estar funcionando direito.

Well, voltando à noite do acidente/morte/encarnação.

O que você faz quando se depara com seu ex-marido psicopata, E seu assassino, sorrindo sinistramente para você? Corre. (né?)

A Julie põe sebo nas canelas e acaba caindo no colo, literalmente, de Ben. Sim, digam olá para o mocinho. Julieta, que agora se apresenta como Ariel (a dona do corpo), fica encantada com a gentileza e genuína preocupação daquele garoto que nem a conhece, pelas memórias de Ariel todo mundo sempre a achou esquisita e feia. Até mesmo sua mãe e sua única e melhor amiga.

Falando na melhor, e única, amiga, eis que surge Gema! Pense numa pessoa egoísta, mimada e arrogante… multiplique algumas vezes e você terá a Gema bitch. Mesmo sendo insuportável, Julie sabe que ela significa muito para Ariel e tenta trabalhar o melhor possível na relação das duas para quando for devolver o corpo (sim, Ariel vai receber seu corpo e sua vida de volta). E não é exatamente surpresa quando ela vê a aura rosada que circula Gema. Ela é uma das almas gêmeas a ser protegida.

A surpresa mesmo é que, quando ela reencontra Ben, ele também está com sua aura rosada.

Pô, fala sério, vai dar azar assim lá em Nárnia cara!

Já não bastava ela ter morrido horrivelmente num ritual de magia negra nas mãos do homem que ela amava, não, não. Setecentos anos depois ela vai e me fica apaixonada pela alma gêmea da melhor amiga mais tranqueira do mundo!!

Julie/Ariel vai ter que dar conta da sua missão, da sua falta de poderes de Embaixadora da Luz, dos seus crescentes e praticamente ilegais sentimentos por Ben, e da última maluquice de Romeu. Uma magia ancestral que pode liberta-los de seus votos imortais e devolver-lhes seus antigos corpos.

Tudo o que ela tem de fazer é ama-lo novamente.

Ai você pensa, ‘há, por favor, o cara enterrou ela viva e depois cravou uma adaga em seu peito. Ela não vai, jamais, dar trela pra ele de novo.’

Mas nessa história, como Julieta vai aprender, nem tudo o que contam é verdade. Ela mesma vai se surpreender com as coisas que uma mente traumatizada é capaz de suprimir e modificar.

Algumas perguntas ficaram sem resposta, como por exemplo, o que aconteceu no episódio na escola que fez com que Ariel ganhasse o apelido de Esquisita e fosse evitada por todos? Ou onde está o pai dela que nunca nem foi citado pela mãe maluca.

Mesmo assim adorei o gostinho que o fim deixou. Mesmo sabendo que é improvável que haja uma continuação eu quero mais.

Selo de aprovação: isso é bacana pra chuchu

 

xo pra vocês e ótima semana!

Cover cutie

Essa semana uma comoção tomou conta do Twitter da Editora Underwold, foi a descoberta, aprovação e escolha da capa de Sob a Luz dos Seus Olhos, da paulistana Ericka Christine F. de Melo. Ela escreve sob o pseudônimo de Christine M.  e vai ter seu livrão nas prateleiras ano que vem!

Isn’t she lovely?

Querem um gostinho?

“Essa é a nossa vida. […] Toda transformação que um ser humano pode sofrer porque disse sim, toda a magia que só existiu porque, em um dia qualquer, nossos olhos se cruzaram.” Elisa é uma garota determinada com todo o futuro pela frente. Está partindo para a gélida e cinzenta Londres com todas as expectativas lotando sua bagagem. Nesse cenário, conhece Paul, um jovem de espírito livre e com uma promissora carreira de ator. Tudo poderia ser apenas um romance casual. Entretanto, Paul e Elisa são dois seres nos quais os rótulos não se encaixam. Graças à entrega incondicional e dedicação, puderam vivenciar tudo o que amor pode ser. Ela encontrou em seus olhos azuis a força para ultrapassar todas as barreiras que sequer imaginaria ter de enfrentar. Ele descobriu que as várias nuances dos olhos dela o levariam a uma trajetória oposta àquela que sempre planejou. Com eles, podemos viajar desde a tradicional e britânica York, às belas praias de Angra dos Reis, até as charmosas paisagens de Santa Mônica, na Califórnia, em uma trama intensa vivida e mostrada através dos olhos dos amantes. Contudo, o amor entre os dois jovens vai além do pitoresco. Ultrapassa o cotidiano e invade as questões existenciais humanas, se transformando em um convite à reflexão sobre o autoconhecimento e a incapacidade de prever do que somos capazes. Um romance repleto de reviravoltas, emoção e dinamismo, capaz de prender o leitor até o último capítulo. Muito mais do que uma história de amor furtiva ou pueril, “Sob a luz dos seus olhos” relata de maneira envolvente como esse sentimento pode mudar vidas e construir pontes que nem mesmo o tempo e o espaço podem destruir. O que você faria por amor? Eles fizeram tudo!

Por enquanto vamos aguardar mais novidades e a conclusão da capa de Camundo – O Signo Oculto, do queridão Nanuka Andrade, que já está ficando linda! #elequefez

Para quem ainda não conhece Camundo:

Depois de fugir de um asilo de desvalidos, Camundo encontra abrigo na casa de um rico e influente ervateiro. O que poderia ser um final feliz para um menino abandonado, acaba se tornando em um infeliz sucessão de acidentes e infortúnios.
Camundo não é um menino comum; é capaz de desenhar coisas terríveis, que acontecem logo em seguida: incêndios, acidentes e crimes, entre outras temeridades.
O que Camundo não sabe é que desenhos assim podem despertar interesse de gente perigosa, como a socidade secreta, conhecida por Asseclas do Lagarto, que está disposto a tudo para trazer um segredo milenar à tona, escondido nos corredores subterrâneos da cidade.
Well, agora é hora da blogueira colocar a leitura em dia e NÃO assistir F.R.I.E.N.D.S de novo.
Bom começo de semana pra  vocês ^^
xo

Bloody hell!

Hello pretties! Lembrei que esqueci de mencionar as coisas legais ou não que fiz esse tempo que fiquei fora.  Primeiro, corri o sério risco de ser sugada, ou morrer de inanição, depois de horas e horas assistindo F.R.I.E.N.D.S… SEM PARAR. Sabe aqueles sites que tem todas as temporadas, com os episódios sem intervalo (um atrás do outro)?! Oh my God! Usei toda a minha força de vontade para puxar a tomada do modem. E só consegui isso depois de 5 horas, 5 HORAS!!!

uuuuaaaaaahhhhhhhhhhhhhhuuuunnnnnnn

Isso foi na segunda de madrugada, acho. Adivinhem o que eu estava fazendo na terça de tarde?? Na maratona F.R.I.E.N.D.S parte II, a vingança. O pior é que depois de um tempo você começa a pensar como eles, falar como eles, se achar um deles… é assustador! Me peguei procurando aquelas xuquinhas que a Phoebe usava nas marias-chiquinhas ou perguntando pros meus amigos how you doin’ ? Como se usar marias-chiquinhas com 20 anos já não fosse assustador o suficiente!

Okay. Parei.

Voltando à parte realmente legal: Take That

Lembram? É aquela banda BRITÂNICA com o Robbie Williams dos anos 90, tinham se separado, mas, recentemente ou não, voltaram a gravar. Eu não ligava muito pra eles, mesmo sendo BRITÂNICOS, até escutar Love Love e Kidz. Bloody hell, não consigo parar de ouvir e ver o clip e ouvir e dar repeat e… e… vou colocar os URLs pra vocês se apaixonarem comigo. =]

O melhor clip do ano!

Sério, até o Dé gostou, e se existe uma pessoa mais enjoada para música do que ele, well, dê um passo à frente, porque eu só acredito vendo!

Para finalizar e matar algumas saudades:

Bom domingo

xo

Comentarista Insone

Hey pretties! Domingo, dia 13, o blog fez um mês! Pensei com meus botões, poxa que legal, vamos comemorar!

feeeesta

 

Não, infelizmente ainda não tenho nada para sortear pra vocês, ainda! Mas pensei em deixar instituído o ‘Comentarista Insone’.

Nada mais é do que a pessoa que mais deu o ar da graça aqui no IYRDIW escolhendo minha próxima resenha!

Nossa, Andhy, que coisa tããão legal ¬¬

Pois é, acontece… quero dizer, hey! É só o primeiro mês! Calm down, prometo fazer promoções decentes aqui, sério.

Bom, as regras do Comentarista Insone são simples:

  • Cadastrar o e-mail no blog;
  • Seguir @AndhromedaG no twitter;
  • Ter o maior número de comentários do mês;
  • Os comentários que valem são referentes só as postagens daquele mês;
  • Para dar chances a todo mundo, o Comentarista Insone que for eleito em uma determinada edição, não pode ser Comentarista Insone do próxima edição;
  • E, sim, comentários nesse post vão valer nessa edição.

Mamão com açúcar, né? Como estamos próximos do fim do mês (caramba, já?), vou fazer uma edição especial, contando, a partir de hoje, até o dia 30.

Não Ned, você não pode participar nessa edição, você me fez ler Insaciável!

Boa insônia e muitos comentários para todo mundo!

xo

Insaciável – Meg Cabot

Me gusta capa emborrachada!

  •    Autor: Meg Cabot
  •    Editora: Galera Record
  •    Nº de Páginas: 504
  •    Edição: 1
  •    Ano: 2011
  •    Título Original: Insatiable 
  •    Tradutor:  Regiane Winarski
  •    Avaliação: 4,5
Cansado de ouvir falar de vampiros? Meena Harper também. Mas seus patrões estão fazendo ela escrever sobre eles de qualquer maneira, mesmo que Meena não acredite neles. Não que Meena não esteja familiarizada com o sobrenatural. Veja, Meena Harper sabe como vamos morrer. (Não que você vá acreditar nela. Ninguém nunca acredita). Mas nem mesmo o dom da premonição de Meena pode prepará-la para o que vai acontecer quando ela conhece – e comete o erro de se apaixonar por – Lucien-Antonescu, um príncipe romeno moderno com um lado sombrio. É um lado negro que muitas pessoas, como uma antiga sociedade de caçadores de vampiros, preferiria vê-lo morto. O problema é que Lucien já está morto. Talvez por isso ele é o primeiro cara que Meena já conheceu com quem ela poderia ter um futuro. Entenda, enquanto Meena sempre foi capaz de ver o futuro de todo mundo, ela nunca foi capaz olhar para o dela própria. E quando Lucien é o que Meena jamais sonhou como namorado, de repente ele pode vir a se tornar o seu pesadelo. Agora pode ser uma boa hora para Meena começar a aprender a prever seu próprio futuro. . . Se ela ainda tiver um.

Primeiro de tudo: também estou tão indignada com a nota quanto vocês! Mas antes de, sei lá, jogar pedras ou grudar chiclete no meu cabelo, leiam o que tenho a dizer! E devo avisar que essa resenha talvez seja um pouco reveladora demais… mas é porque preciso mostrar o meu ponto!

Well, tem horas que eu sou uma tapada de marca maior, quando li o título Insaciável pela primeira vez pensei, hum, banho de sangue. Nem passou pela minha cabeça que pudesse ter algo mais hot ou +18, afinal, é a Meg, e qualquer livro adulto dela é assinado como Patricia Cabot.

Há, a tapada estava certa! A não ser que você considere ‘seios fartos’ ou ‘tanquinho’ hot demais.

A segunda coisa que pensei ao ver o livro foi Oba, mais Suzannah Simon pra gente! Ela é a protagonista da melhor série da Meg e uma das melhores séries adolescentes de todos os tempos, A Mediadora!

Não foi bem assim. Na verdade, não foi nem um pouco assim. O livro ficou devagar quaseparando na primeira metade, começando com a vida de redatora da novela Insaciável de Meena (e sua iminente promoção) indo pro brejo; mostra o completo cavalheirismo e atitudes muy honrosas de Lucien e o irritante comportamento arrogante de Alaric, o caçador de vampiros loiro, bombadão e bonitão.

Lucien sai da Romênia e vai para Nova York parar os vampiros que, contra a lei do príncipe, estão matando jovens humanas. Entenda, para ele os vampiros podem sim se controlar e beber sem matar. Ele sabe o que é violência e não concorda em nada com ela.

Alaric vai para Nova York a mando do chefe para parar os vampiros assassinos, mas acredita que será capaz de pegar também o todo-poderoso príncipe. E Meena duela com sua nova superiora, totalmente sem talento, Shoshana (alguém já viu Bastados Inglórios?). Ela quer mostrar para a magrela que, apesar de ter de enfiar vampiros e dar uma refrescada na trama, não precisam mudar a novela tanto assim.

O que Lucien não esperava era que Dmitri, seu irmão mais novo, poderia estar mais ligado com os assassinos do que dizia. Bem, Dmitri já tentou dar cabo do irmão uma vez e ficar com seu trono…

Ok, então a estória enveredou para Meena finalmente encontrar Lucian, e ir para a cama com ele.

Por acaso, o Lucien é mais ou menos assim:

É cavalheirismo demais pra uma pessoa só!

E o Alaric lá, intimidando garotas inocentes e enchendo o saco como sempre…

Alias tem até uma cena muito bizarra de quando ele, invade o apartamento da Meena pra descobrir o paradeiro do romeno e ‘revista’ a garota (só de sutiã e combinação) na frente do irmão dela! Isso não é hot, isso não engraçado. É bizarro!!

Bem, por causa desse encontro desagradável, Meena descobre que Lucien é, tipo, o príncipe DAS TREVAS! E sabendo disso ela até tenta se afastar. Mas não tenta taaaanto assim. We wont blame her!

Assim ela se torna, oficialmente, a escolhida do príncipe.

Intocável.

Ou seria se não houvesse vampiros querendo trocar de príncipe.

Isso leva a Guarda Palatina (para quem Alaric trabalha e que no livro caça monstros) além, é claro, de outros vampiros no encalço dela. O loirão aproveita e se elege o seu ‘guarda-costas’ até que seja seguro para Meena, ou seja: até que os bebedores de sangue se aniquilem!

Meena não pode deixar que isso aconteça.

Então, de repente, sem mais nem menos, o príncipe vira um escroto! DO CARA DOS SONHOS PRO IDIOTÁSSO praticamente na mesma página. Porra, Meg! Não dava pra ser mais óbvia e escrever de uma vez: caro leitor, agora é a hora de você odiar Lucian e torcer para Meena dar uma chance para Alaric. (!!!)

ARRRGH

Ok, eu não consigo não gostar do Lucien, e não tem nada a ver com ele ser um moreno altão, sério! É que ele foi sempre tão gentil e legal com a Meena que eu não posso trocá-lo por um troglodita! As briguinhas dela com Alaric não foram do tipo ‘você me irrita mas me seduz’, quero dizer, a intenção foi essa… mas não colou!

E já que estou falando tudo, sabe aqueles diálogos famosos da Meg, super inspirados e engraçados? Estou procurando eles até agora… Não que ela não tenha tentado! Ela tentou! Mas ficou tão forçado que por um momento eu realmente achei que a Meena fosse doida da cabeça…

Well, em defesa do livro, ele ainda conta com ótimos personagens: a Leisha por exemplo, melhor amiga, badass e grávida de mil meses. Ela é super confiante e realmente acredita no dom da amiga! E a vizinha vampira perua, Mary Lou. Ela é tão legal, perua, avoada e legal (!) que você passa o livro todo desejando que ela pare de fazer besteiras, com medo que a transformem numa pilha de pó!

Não posso dizer que recomendo o livro, na verdade, eu recomendo O Legado da Caça-Vampiros se você estiver afim de um casal que briga e é engraçado. Ou a série Mediadora, mas isso já estava implícito. Vou ler a continuação, Overbite, porque preciso saber o que vai acontecer e porque acredito que foi só uma errada de mão da Meg.

Então, Sra. Cabot, eu não queria ter feito essa resenha. Me corta o coração ter lido o que li, ainda mais vindo de você!

Mas você me machucou primeiro!!

No mais, vou dedicar um p.s. para o personagem que mais me chamou a atenção no livro todo:

P.S.: Jack Bauer, o cachorro.

Nunca antes, na história desse pais, um cão despertou tantas emoções em mim! Ele fica com Meena 24h por dia, achando que vai protege-la dos vampiros, só que ele é daqueles pequenos, fofos e felpudos:

No primeiro encontro de Meena quem está lá? Jack Bauer, achando que é o cara do seriado e latindo sem parar pro vampiro! SEM PARAR!

Ainda assim ele é uma coisa fofa demais para não gostarmos e totalmente querermos um igual!

Entenderam a indireta, né?

xo

New on My Bookshelf… Vol 3

Sim, eu sou uma pessoa miserável que não merece nenhum tipo de consideração depois de ter abandonado o blog por uma semana (!), eu seria uma péssima mãe e agora provavelmente ninguém vai querer casar comigo. Sim, eu tenho consciência dessas coisas.

Acontece que domingo, pra quem não sabe, foi a prova da Unicamp, uma coisa que os acadêmicos chamam de vestibular, mas que eu conheço por ENTIDADE DO MAL.

Fui toda destemida enfrentar o bicho, dizendo para mim mesma: É só uma prova e três redações, o que tem de tão assustador e mortal nisso?

Escutou o mariate?

Bem, voltei de lá meio assim:

.....

Passei o feriado sem nem lembrar como escrever meu nome, e resolvi não forçar também, porque daqui uma semana tem mais. Vou compensar vocês, prometo.

Falando em casamento (eu sei que foi só uma frase de efeito), hoje é a estreia de Amanhecer

Jake, seu forever alone

Detesto tenho nojinho da Kristin Stewart mas, hell, yes! Eu vou assistir o filme, por respeito aos livros. Hey! Não torça o nariz! Eu li a saga quando tinha 15/16 anos e foi tão lindo e açucarado e demais e lindo, que, mesmo sabendo que hoje em dia eu não ficaria tão apaixonada assim, gosto de manter a sensação boa que tenho deles (os livros) desde então.

E hoje, dia 18 de Novembro é o aniversário de casamento dos meus pais! Fiquei imaginando se eles sabem quantas garotas histéricas não empalariam uma freira só para se casar hoje

Marry me, Robert, I don't have a life!

Então, parabéns mãe e pai, boa sorte com os próximos 24 anos juntos, felicidades e porque vocês não são vampiros? eu amo vocês!

Voltando ao tópico inicial, os livros novos.

Esse final de semana antes do caos da prova ganhei presentes muito legais! Entre eles As Lendas do Mundo Emerso – O Destino de Adhara, da minha 2ª escritora favorita Licia Troisi. Eu vou aprender italiano só para ler os livros dela.

Eu tenho um infarto cada vez que olho pra ele

Devo agradecer a Rocco por ter lançado ele aqui quase 4 anos depois? ¬¬ Eeee por terem mudado o layout?

Eu realmente sou muito chata em relação a isso.

Tivemos também A Maldição do Tigre, de Colleen Houck, que é uma das melhores capas do mês! Sério, eu quero uma camiseta dela! Obrigada pai!

Ela brilha!

E as outras fontes de alegria são:

Não imaginava que fosse tão grande

Finalmente! Obrigada, tia!

A leitura em andamento

E um livro literalmente minúsculo!

Olha que lindo o detalhezinho da lombada... tá, eu sei que quase não dá pra ver. Por isso que é inho!

Na ordem: Sob a Luz da Lua – Nightshade vol 1, da Andrea Cremer; Ranger – A Ordem dos Arqueiros, Reis de Clonmel – Livro 8 nomegigantesco, do John Flanagan; Julieta Imortal da Stacey Jay e Luminoso, 2º livro da série Riley Bloom, spin-off de Os Imortais da Alyson Nöel.

Devem estar se preguntando agora: e a Mimo? Li tudo isso só pra ver ela e até agora nada! Cadê, blogueira, cadê?

Ela está aqui, ligando muito pra tudo isso.

suspiro coletivo em 3... 2... 1...

Talvez hoje não seja um bom dia para fotos na cabeça dela, e eu até tentei animar, chamar pra um social!

   
Momento
 
Felicia

#Fail

Mas tudo o que consegui foi esse olhar acusador e muitos pelos soltos

TPM felina, eu mereço

Vamos dar um tempo a ela, goosfraba. ^^ E fechar com o trailer, que todo mundo já viu, mas que eu não canso de ver de novo, do Jogos Vorazes (!!!)

Não consigo conter o arrepio quando a contagem começa! This will be the most epic movie since LoR !!

xo

A Floresta de Mãos e Dentes – Carrie Ryan

Sempre preferi essa

  •  Autor: Carrie Ryan
  •   Editora: Underworld
  •   Nº de Páginas: 298
  •   Edição: 1
  •   Ano: 2011
  •   Título Original:Forest of Hands and Teeth
  •   Tradutor:  Fabio Fernandes
  •   Avaliação: 8,5
O mundo de Mary é um mundo de verdades simples. A Irmandade sempre sabe o que é melhor. Os Guardiões protegem a todos. Os Esconjurados jamais descansam. E você deve sempre tomar cuidado com a cerca que percorre o perímetro do vilarejo; a cerca que protege o vilarejo da Floresta de Mãos e Dentes. Mas, lentamente, as verdades de Mary estão se desintegrando. Ela está aprendendo coisas que nunca quis saber a respeito da Irmandade e seus segredos, dos Guardiões e seu poder, e dos Esconjurados e seu desespero. Quando a cerca é violada e seu mundo é atirado no caos, Mary deve escolher entre sua vila e seu futuro – entre seu amado e o homem que a ama. E ela deve enfrentar a verdade a respeito da Floresta de Mãos e Dentes. Pode existir vida em um mundo cercado por tanta morte?

Chega a ser engraçado como a vida brinca com a gente, tipo, às vezes ela faz coisas que se encaixam tão perfeitamente no nosso estado de espirito ou situação que parece estar tripudiando. Bem, eu prefiro encarar essas coisas como sinais.

A Floresta de Mãos e Dentes caiu no meu colo quase que por acidente, eu não gosto de histórias de zumbis, não não, eu não gosto DE ZUMBIS (é, ria à vontade, eu tenho medo). Mas aconteceu de que, enquanto eu o lia essa madrugada, descobri que era uma estória muito além de gente podre. É sobre você ter a oportunidade perfeita…

…e deixar passar.

Não importa que tipo de oportunidade é essa, ou se perfeição não quer dizer exatamente raridade, se você espera demais, se você pensa demais ela vai embora.

Mary tem tantos sonhos, tanto em que acreditar que não sabe por onde começar. A mãe dela vai para os Esconjurados (os zumbis), pois não aguenta a dor de perder o marido para eles. Mary poderia ter salvado a sua vida, fato, mas ficou tempo demais imaginando se deveria fazer isso ou não, até que a escolha dela bateu asas.

E de novo.

E de novo.

E mais uma vez.

Em alguns pontos ela me lembra demais a Katniss Everdeen. Ambas são generosas e egoístas ao mesmo tempo, vão se colocar em perigo para te salvar, mas jamais vão dar espaço para você em suas vidas.

É um livro melancólico e assustador (não digo isso pela gente gemendo e se arrastando por ali), pois fui descobrindo junto com Mary que o perigo poderia estar dentro da cerca e não fora dela. Que os verdadeiros vilões estavam escondendo de toda a aldeia coisas que jamais deveriam ser ocultas.

Quando sua mãe Retorna (volta zumbizada) Mary é escorraçada por seu irmão mais velho, Jed, que a culpa, e tem de ficar com as Irmãs. A Irmandade é o governo da aldeia, são freiras que detém para si todas as informações que restaram de antes do Retorno e muitos outros segredos, e levam Deus para as pessoas. Elas são quase tão assustadoras quanto os Esconjurados, e quem também estudou em colégio de freira sabe do que eu tô falando. Mary passa meses em silencio, parte por imposição de Irmã Thabita, parte por sua vontade de se desligar daquele mundo, até que Travis aparece muito machucado. Travis é o irmão mais novo de Harry, o melhor amigo de Mary e que quer se casar com ela. O problema é que a menina sempre gostou mais do irmão caçula e, quando ela passa dias cuidando e contando histórias para ele, o gostar vira amar.

Obviamente a vida da Irmandade não é para ela, principalmente depois que Gabrielle surge. De fora.

Então Mary é consumida pela dúvida entre ficar e descobrir o que as Irmãs escondem ou ir pelo caminho de onde Gabrielle veio. Ver o que há além da cerca.

Mas, mais uma vez, ela passa tanto tempo ponderando que a vida decide por ela. Harry fala por ela, ou seja, a pede em casamento, e tanto Jed quanto Irmã Thabita aceitam. E não para por ai, Travis se compromete com Cassandra, a melhor amiga de Mary.

E agora, José?

Acho que não posso falar mais da história sem fazê-la perder uma parte da graça. Recomendo o livro. Na verdade eu recomendo que você saia do computador e vá abraçar seus pais, beijar seu (a) namorado (a), ligar para os seus amigos e dizer a todos eles o quanto os ama. Que sabe que eles o (a) amam também e que sua vida seria um saco sem eles. Lembre-se sempre que a oportunidade perfeita não é necessariamente rara, e que dizer a uma pessoa o quanto ela é importante para você sempre que sentir uma vontadezinha está longe de ser piegas, que a insegurança é um veneno.

Não deixa as brechas que a vida te dá passarem.

Sim, eu meio que já sabia de tudo isso, mas precisei de um livro lido na hora certa para entender. E antes que alguém me diga que é um livro para adolescentes/jovens adultos, eu peço que leve o preconceito literário para outro lugar.

Leiam A Floresta de Mãos e Dentes se gostarem de histórias de zumbis, se gostarem de sociedades pós-apocalípticas, se gostarem de chorar ou se acham que precisam de um chacoalhão.

O ministério dos blogueiros adverte, esse livro é uma METÁFORA.

Xo

P.S.: Mãe, pai, obrigada por me apoiarem sempre e se dedicarem tanto mesmo quando eu não mereço.

Na Companhia da Cortesã – Sarah Dunant

  •   Autor: Sarah Dunant
  •   Editora: Record
  •   Nº de Páginas: 389
  •   Edição: 1
  •   Ano: 2008
  •   Título Original:In the Company of the Courtesan
  •   Tradutor: Ana Luiza Dantas Borges
  •   Avaliação: 9,5!!

No ano de 1527, Roma sofre um de seus mais terríveis ataques, quando soldados do imperador Carlos V avançam sobre as muralhas da cidade, pilhando tudo o que encontram pela frente. Em meio ao caos, a cortesã Fiammetta Bianchini e seu cafetão e parceiro, o anão Bucino Teodoldi, fogem para Veneza. Com muita coragem e astúcia, os dois se infiltram na sociedade local, desfrutando a luxúria e o pecado que desfilam nos palácios suntuosos. Fiammetta, atraindo e satisfazendo os homens, começa a acumular uma pequena fortuna. Entretanto, uma jovem misteriosa pode colocar em risco a riqueza da cortesã

Enquanto você lê essa resenha estou indo na Madre Superiora Wikipedia descobrir mais sobre o pintor Ticiano, o escritor Arentino e o figurino da moda em 1530.

Quem se imaginaria lendo uma história contada por um anão ranzinza, cafetão de uma famosa cortesã, na Veneza da Renascença? E ainda por cima enrolar, deliberadamente, a leitura para aproveitar melhor cada página? Não sei vocês, mas eu não imaginava.

Já disse que amo ser surpreendida?

Comecei ‘Na companhia da Cortesã’ sem grandes expectativas, pois, mesmo amando romances históricos, sempre tive em mente que eles são isso, livros escritos por não-historiadores com uma atmosfera do passado. Acontece que esse é um romance tão rico em detalhes, pesquisa e esmero que se torna um complemento para outros livros não-ficção da vida privada renascentista.

Tenho lido muitos YAs ultimamente e às vezes me esqueço do poder que uma estória escrita não sobre acontecimentos, mas sobre personagens, tem. Well, depois dessa não me esqueço jamais! Na verdade estou quase me enroscando num canto com uma pilha de todos os livros desse tipo que tenho, lidos ou não.

Amei a precisão dos diálogos de Bucino (le anão) com os outros e com ele mesmo. Fiammetta (la cortesã) é o retrato da sedução feminina e me lembra Fernando Pessoa dizendo:

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.

No seu eterno jogo de simulação ela pode ir da mais arguta perspicácia direto para a vaidade infantil. Há também La Draga, uma mulher que apesar de suas deformidades vai te tragar em seu mistério.

Outra coisa que me chamou atenção foi a forma como a amizade é representada. Bucino e Fiammetta são sócios, mas acima de tudo são amigos. Quando li, tive a impressão de que, enquanto estivessem apoiando um ao outro, o caldo nunca entornaria.

Apesar de tudo o que tem de passar.

Assim que Roma cai, Fiammetta perde seus preciosos cabelos e praticamente todo o dinheiro para os luteranos, os dois tem a opção de separarem-se e para assim conseguir sobreviver, mas ficam juntos. Vão para Veneza, lugar que Bucino detesta, e tem que começar praticamente do zero, enfrentando os vizinhos fofoqueiros e até a empregada da casa (herança da mãe de Fiammetta).

Pelos olhos ‘baixos’ de Bucino, eu passeei pelas gondolas luxuriantes, os canais malcheirosos, as igrejas das cortesãs e me apaixonei por cada lugar. Cada palavra é tão bem pensada para te envolver quanto cada dobra das vestes de Fiammetta é ajeitada para seduzir. Eu nunca mais vou ter a mesma ideia sobre cortesãs, cafetões e bruxas, não depois de ter entrado tão fundo na vida deles.

Não é maravilhoso?

Se você achar que não tem paciência para um livro tão não-sobrenatural assim, te digo ‘Jovem padawan, onde menos se espera, a satisfação está’.

Ah, você diz que detesta esse lixo todo e que história só serve pra te deixar de recuperação no colégio? Tudo bem cara, tudo bem. Cada um tem um gosto, né?

Né?

Well, Sarah Dunant misturou personagens históricos com fictícios e outros não tão fictícios assim e, fazendo uma coisa incrível, conduziu a história praticamente no mesmo ritmo sem deixar a peteca cair! Cara, ela ganhou uma fã de carteirinha! Vou até mudar os livros dela pro lado da Philippa Gregory aqui na estante…

Não preciso dizer que esse é um livro mais que recomendado, heim?

P.S.: Não, aborrecentes, esse livro não tem putaria. Só expressões de baixo calão. xD

xo